Homem é morto após negar senha do iPhone a bandidos

Felipe Demartini

Um bombeiro da cidade de Coral Spings, nos Estados Unidos, foi morto a tiros após se recusar a entregar a senha de desbloqueio de seu iPhone durante um assalto. O caso aconteceu em 19 de outubro de 2019 e foi justamente o fato de o aparelho ainda estar ativo que ajudou a polícia a localizar os responsáveis pelo crime, após um rastreamento do GPS que revelou os passos deles após o crime.

A vítima era Chris Randazzo, que voltava para a casa de sua namorada após frequentar bares com os amigos. Em torno das 2h30 da manhã, ele foi abordado por três homens a bordo de um veículo, que roubaram sua carteira com US$ 55 dentro, tênis, uma faca e o celular. Eles fugiram, mas ao perceberem que o iPhone estava bloqueado, retornaram para pedir a senha, que não foi entregue pelo bombeiro, que acabou morto por causa dessa recusa.

Após encontrar o corpo de Randazzo, a polícia iniciou uma investigação cruzada que acabou levando aos bandidos. Usando os dados de torres de celular a partir do número utilizado pelo bombeiro e combinando essas informações com leitores de placas de carro presentes nas câmeras de segurança da cidade, as autoridades chegaram ao veículo usado no crime e, consequentemente, aos três responsáveis por ele.

Com a prisão de Jose Garcia Romero, Torrey Holston (que seria o responsável pela morte de Randazzo) e Marco Rico, a polícia descobriu que o trio também estava envolvido em um tiroteio que havia acontecido horas antes da morte do bombeiro. O caso aconteceu em um hotel a 50 quilômetros do local do assassinato e uma análise dos cartuchos usados em ambas as ocorrências levaram à identificação dos suspeitos.

No caso, uma mulher não identificada armou um plano para retomar o relacionamento com Rico, seu ex-namorado, a partir do atual, um traficante que venderia drogas ao que, mais tarde, se tornaria o responsável pela morte do bombeiro. Quando o suspeito e os dois companheiros chegaram ao hotel, entretanto, um deles começou a atirar, matando o namorado dela, o que motivou uma fuga rápida.

Os três foram indicados pela morte de Randazzo, bem como por roubo e pela participação no tiroteio que aconteceu no hotel. Um julgamento ainda não tem data para acontecer, enquanto o trio permanece preso enquanto responde ao processo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: