Homem é morto atacado por crocodilo em galpão inundado após passagem do furacão Ida

·2 minuto de leitura

LOUISIANA, EUA — Um homem de 71 anos foi morto, nesta segunda-feira, após o ataque de um crocodilo no galpão da sua casa na cidade de Slidell, Louisiana, nos Estados Unidos. O local estava inundado depois da passagem do furacão Ida.

Sua esposa, de 60 anos, relatou à polícia que ouviu um barulho e, ao chegar no galpão, viu seu marido sendo atacado pelo crocodilo. Ela, então, foi buscar algo que pudesse servir como um torniquete para conter os ferimentos, mas, ao voltar, o homem estava inconsciente e o crocodilo havia arrancado seu braço, disse o porta-voz da polícia, capitão Lance Vitter, ao jornal local Nola.com, especializado em notícias de New Orleans.

Com o telefone sem funcionar por causa da tempestade, a mulher não conseguiu ligar para pedir ajuda. Ela entrou em uma embarcação e remou para um terreno mais elevado, onde conseguiu entrar em contato com o xerife. Investigadores da polícia afirmaram que as evidências encontradas no local comprovam a história, e o corpo do homem ainda não foi encontrado.

O furacão Ida chegou à costa da Louisiana no domingo, com ventos de até 240 km/h que derrubaram árvores e arrancaram os telhados das casas. Nesta segunda-feira, o furacão foi rebaixado para tempestade tropical pelo serviço meteorológico americano, com ventos de, em média, 155km/h.

Na noite desta segunda-feira, outras duas pessoas morreram e mais dez ficaram feridas depois que parte de uma rodovia cedeu perto da cidade de Lucedale, no Mississippi, Estados Unidos. O buraco foi resultado da forte chuva que atingiu a região durante a passagem do furacão Ida.

A cratera, com cerca de 15 metros de comprimento e 6 metros de profundidade, foi aberta na Rodovia 26, que liga os estados do Mississippi e da Louisiana. Três dos feridos estão em estado grave.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos