Homem é morto pela Rota em suposta troca de tiros em Santo André, no ABC

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um homem foi morto pela Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) na noite desta quarta-feira (18), durante suposta troca de tiros, depois de um assalto, em Santo André, no ABC, de acordo com a Polícia Militar.

Segundo a PM, os agentes estavam em patrulhamento, quando foram acionados por comerciantes no Jardim Santo André, que informaram sobre o assalto na região.

Os agentes da Rota fizeram buscas, segundo a PM, e encontraram três homens em um veículo, que teriam fugido da abordagem.

Ainda segundo a PM, eles bateram em um barranco, na avenida Mico Leão Dourado, e teriam iniciado uma troca de tiros com os militares no momento em que tentavam fugir a pé.

De acordo com a corporação, dois suspeitos conseguiram fugir, mas um foi baleado, sendo socorrido ao Centro Hospitalar de Santo André, pelo Corpo de Bombeiros. Ele morreu na unidade.

A PM não informou quantos tiros atingiram o suspeito. A identidade e idade dele não foram reveladas.

Na madrugada da última quinta (12), dois homens suspeitos de integrarem uma quadrilha especializada em roubo a residências também foram mortos durante uma suposta troca de tiros com policiais da Rota, na rua da Consolação, na capital paulista.

Segundo a Polícia Militar, equipes da tropa receberam a informação de que os suspeitos estavam em dois veículos. Um dos carros foi abordado na rodovia Raposo Tavares com três suspeitos.

O segundo veículo teria fugido em alta velocidade, sentido zona sul, e perseguido por outra equipe da Rota. Ainda de acordo com a PM, durante a perseguição, o motorista perdeu o controle da direção e bateu o veículo contra um poste na rua da Consolação, no cruzamento com a rua Sergipe.

O veículo era ocupado por três suspeitos, que teriam atirado contra os militares, que revidaram, ainda segundo a PM. Na troca de tiros, os três suspeitos foram atingidos. Dois morreram e um foi socorrido e levado para um hospital da região.

Os militares atiraram 28 vezes contra os suspeitos durante essa ocorrência. O DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), que investiga o caso, solicitou acesso às imagens das câmeras dos uniformes dos agentes envolvidos na ocorrência.