Homem é morto por bala perdida ao sair de casa para comprar pão no Rio

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um pedreiro de 42 anos foi morto na manhã desta quarta-feira (12), na Vila Cruzeiro, região da Penha, subúrbio do Rio, durante um confronto entre policiais militares da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) da região e traficantes de drogas. As informações são da Agência Brasil.

Luiz dos Santos Silva voltava da padaria às 6h30, quando foi atingido por bala perdida na nuca. Ele foi socorrido e levado por vizinhos para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, mas não resistiu.

Familiares do pedreiro fizeram um protesto pela manhã, fechando a avenida Brás de Pina, uma das principais da Penha. Silva tinha cinco filhos e estava desempregado. Vivia de biscates.

A Coordenadoria das UPPs confirmou a morte e informou que, no momento em que a vítima foi ferida, havia um confronto entre traficantes e policiais militares.

De acordo com o comando da UPP Vila Cruzeiro, policiais da unidade estavam em patrulhamento na localidade conhecida como Bairro Treze, por volta das 6h30, quando se depararam com criminosos armados, iniciando um confronto. O caso foi registrado na 22ª DP (Penha).

A Secretaria Municipal de Educação informou que, por medida de segurança, uma escola, uma creche e dois Espaços de Desenvolvimento Infantil não funcionaram nesta quarta na Vila Cruzeiro e Complexo da Penha, deixando 1.482 alunos sem aula.

Ao menos outras três pessoas foram mortas por bala perdida no Rio nos últimos 15 dias. Entre as vítimas estão duas meninas de 13 anos, sendo que uma foi atingida quando fazia uma aula de educação física em uma escola da comunidade de Acari (zona norte). A outra vítima foi um homem de 72 anos.

IPANEMA

Também nesta quarta, houve um outro confronto entre policiais militares e criminosos no morro do Pavão-Pavãozinho, em Ipanema (zona sul). Os PMs da UPP local teriam sido atacados quando faziam um patrulhamento de rotina na parte alta da comunidade. Não houve feridos ou presos.