Homem é morto por PMs após invadir residência e fazer família refém no DF

·1 min de leitura

RIO - Um homem foi morto a tiros por policiais militares, neste sábado, após invadir uma casa e fazer os moradores reféns, em Ceilândia, no Distrito Federal. De acordo com os agentes, o suspeito teria corrido para dentro da residência depois de ter sido flagrado com mais dois comparsas em um carro transportando drogas. Uma mulher foi presa e o outro suspeito conseguiu fugir.

Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), no final da tarde, policiais faziam ronda em Ceilândia Sul quando avistaram um Ford Ka branco conduzido por uma mulher, que aparentou nervosismo ao ver a viatura. Dois homens estavam como passageiros no veículo.

Após a suspeita, os agentes deram ordem de parada, mas a condutora desobedeceu e tentou fugir. Os policiais, então, iniciaram uma perseguição contra o automóvel.

Na altura da QNN 2/4, a motorista colidiu contra um carro estacionado, momento em que os dois homens desceram do veículo e subiram nos telhados das casas de um conjunto habitacional para tentar despistar os agentes. A mulher foi presa, um criminoso fugiu e o segundo, que estava armado, entrou numa residência e fez uma família refém.

Na versão da PM, o suspeito que portava uma pistola disparou contra os agentes, que entraram na residência para tentar detê-lo. Ao encontrarem o homem em um dos cômodos, ele “novamente atirou em direção aos policiais, que não tiveram alternativa e revidaram a agressão alvejando o agressor”, aponta a nota.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e o homem foi socorrido e levado ao Hospital Regional de Ceilândia, mas não resistiu aos ferimentos.

Foram apreendidos um revólver calibre 38 e cerca de 6 quilos de maconha na ação. A ocorrência foi registrada na 15ª Delegacia de Polícia. A PM ainda não tem informações sobre o criminoso foragido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos