Homem é preso por apontar uma arma de fogo para Kirchner na Argentina

Um homem foi preso nesta quinta-feira (1º) na Argentina por apontar uma arma de fogo contra a vice-presidente Cristina Kirchner quando ela chegava em casa, em Buenos Aires, informou o ministro da Segurança, Aníbal Fernández.

A imagem do homem que aponta para a cabeça de Kirchner após a vice-presidente argentina descer de um carro foi reproduzida por diversos canais de TV.

Fernández informou sobre a detenção do homem na noite desta quinta-feira, quando Kirchner, que também é a presidente do Senado argentino, voltava para sua residência, no bairro de Recoleta.

"Agora a situação tem que ser analisada pelo nosso pessoal da (polícia) Científica para avaliar os rastros e a capacidade e disposição que essa pessoa tinha", disse o ministro.

O homem, que não atirou ou não conseguiu atirar, aproximou-se de Kirchner no meio da multidão que a esperava para cumprimentá-la e pedir que assinasse seu livro autobiográfico.

Centenas de militantes se reúnem desde a semana passada em frente à casa de Kirchner, 69 anos, acusada de corrupção durante seu governo (2007-15) e contra quem o Ministério Público pediu uma sentença de 12 anos de prisão e desqualificação política perpétua.

O ataque à vice-presidente foi repudiado pela coalizão de oposição Juntos pela Mudança, que solicitou uma investigação dos acontecimentos, e também pelo gabinete de ministros.

nn/yow/am