Homem com deficiência é selecionado em programa de formação de astronautas

John McFall falando em ambiente interno, observado por outro homem
'Eu me senti tão inspirado por isso... Eu me senti compelido a me candidatar', diz McFall sobre treinamento para ser astronauta

Pela primeira vez, uma pessoa com deficiência irá fazer parte de um treinamento para astronautas.

O britânico John McFall, de 41 anos, juntou-se a 16 homens e mulheres selecionados para a primeira nova turma criada pela Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) em 13 anos.

McFall teve sua perna direita amputada após ter sofrido um acidente de moto, com 19 anos. Ele se tornou um atleta profissional e representou a equipe da Grã-Bretanha nas Paraolimpíadas.

A ESA afirmou que está ampliando sua definição de "características certas" dos candidatos que querem ir ao espaço.

A escolha não significa necessariamente que McFall irá para o espaço. Trata-se de um projeto-piloto para avaliar como "parastronautas" podem ser incluídos em futuras missões espaciais.

McFall, que conquistou a medalha de bronze nos Jogos Paraolímpicos de 2008 nos 200 metros classe T42, disse estar orgulhoso por ter recebido a oportunidade em "um projeto tão corajoso e ousado".

John McFall competing at the 2008 Paralympic Games in the Men's 100m T42 Final Athletics event
John McFall (na foto, a esq.) venceu a medalha de bronze nos Jogos Paraolímpicos de 2008 nos 200 metros classe T42 e agora será treinado como astronauta pela Agência Espacial Europeia

Ele disse à BBC que nunca havia pensado em se tornar um astronauta, mas se sentiu compelido a se candidatar quando ficou sabendo da oportunidade.

"Quando a ESA anunciou que estava procurando candidatos com deficiência física para este projeto, olhei os requisitos e a ideia me chamou a atenção. Eu me senti muito inspirado."

A ESA trabalhará com a Nasa, a agência espacial americana, no projeto-piloto. As agências vão avaliar primeiro as adaptações necessárias para garantir a segurança da tripulação, considerando as necessidades particulares de pessoas com deficiências físicas. Também será estudado quais mudanças seriam necessárias nas naves espaciais.

Homens e mulheres enfileirados em palco, posando para foto
Após mais de 22 mil inscrições, 17 pessoas foram selecionadas para treinamento da ESA

"É muito importante envolver todas as pessoas que se entusiasmam pelo espaço", afirmou David Parker, diretor de exploração espacial humana e robótica da ESA.

"Estamos dando um primeiro passo abrindo esta chamada para pessoas que têm certos tipos de deficiência física, e realmente esperamos levá-las em missão na Estação Espacial Internacional", disse ele à BBC News.

O número de mulheres que se candidataram aumentou significativamente em comparação com o último recrutamento, em 2009. Segundo o diretor-geral da ESA, Josef Aschbacher, isso se refletiu na seleção final, já que quase 50% dos integrantes da nova turma são mulheres.

A agência recebeu no total 22.500 inscrições e selecionou 17 pessoas, todas de países europeus. Cinco delas são astronautas de carreira e 11 foram designadas como reservas — a serem chamadas apenas em caso de abertura de uma vaga na turma ou caso seu país de origem queira financiar sua formação à parte.

- Este texto foi publicado em https://www.bbc.com/portuguese/geral-63739135