Homem detido diante do Parlamento britânico é suspeito de planejar atentado

(Atualiza com novos dados e declarações)

Londres, 27 abr (EFE).- Um homem de 27 anos foi detido nesta quinta-feira perto do Parlamento britânico suspeito de ter planejado um ataque terrorista, informou a Polícia Metropolitana de Londres.

O jovem, que portava vários facas em uma mochila, foi detido por posse de armas e sob suspeita de "comissão, preparação e instigação de atos terroristas", apontou em um comunicado Scotland Yard.

A polícia abordou o homem às 14h22 local (10h22, em Brasília), como "parte de uma operação em curso" em um dos extremos da avenida Whitehall, que liga a praça do Parlamento com a Trafalgar Square.

A Scotland Yard indicou que "não existe um risco imediato conhecido" relacionado ao incidente e não há registro de feridos vinculados com o fato, embora tenha afirmado que detetives da unidade antiterrorista do corpo "seguem com a investigação".

O homem estava sob a mira dos serviços de inteligência e a polícia britânica e residia em Londres, segundo meios locais.

O suspeito, que vestia roupa escura, foi algemado e permaneceu ao lado dos agentes por vários minutos perto de uma das saídas da estação de metrô de Westminster.

No momento da detenção, a primeira ministra britânica, Theresa May, não estava em sua residência de Downing Street, a poucos metros de onde ocorreu o fato e na mesma zona onde em 22 de março um ataque terrorista deixou cinco mortos.

"Acredito que isto demonstra que nossa polícia e nossos serviços de inteligência e segurança estão em alerta, como sempre, para nos manter sãos e salvos", afirmou May à rede "BBC".

"Não posso dizer muito porque se trata de uma investigação policial em curso", apontou a chefe de Governo.

A detenção do suspeito ocorreu perto do local onde há um mês o terrorista Khalid Masood atropelou os pedestres na ponte de Westminster e esfaqueou depois o policial Keith Palmer, que fazia a segurança do Parlamento.

Esse atentado levou a aumentar a segurança e o número de patrulhas armadas nas imediações do palácio de Westminster, sede das câmaras parlamentares britânicas. EFE