Homem alega ter sido agredido por não usar máscara em posto de saúde; Unidade contesta versão

·2 minuto de leitura
Oswaldo Ferreira Benites diz ter alergia ao tecido da máscara - Foto: Acervo Pessoal
Oswaldo Ferreira Benites diz ter alergia ao tecido da máscara - Foto: Acervo Pessoal

Um homem alega ter sido agredido com um soco no olho por não usar máscara dentro de uma Unidade Básica da Saúde da Família (UBSF) em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Oswaldo Ferreira Benites registrou um boletim de ocorrência e alegou que estava sem máscara pois possui alergia ao tecido do equipamento de proteção contra o novo coronavírus. As informações são do G1.

De acordo com boletim de ocorrência, Oswaldo argumentou com a gerente de saúde sobre não estar utilizando o equipamento de proteção. Ela teria pedido a ele que colocasse a máscara. Segundo o homem, ele estava tentando explicar sobre sua alergia. O episódio aconteceu nessa quinta-feira (04).

Leia também:

Em nota divulgada pelo G1, a secretaria municipal de Saúde afirmou que o homem estava agredindo verbalmente a servidora, fato que despertou a irritação de uma pessoa presente na unidade, que abordou Oswaldo e acabou desferindo socos.

A secretaria municipal de Saúde afirma ainda que está acompanhando o caso. " A informação é de que realmente o paciente foi buscar atendimento na unidade durante a tarde sem o uso de máscara e ao ser questionado por uma servidora passou a agredir verbalmente a equipe, sob argumento de que ele não precisava fazer o uso do item de proteção, contrariando o decreto municipal que determina a obrigatoriedade do uso de máscaras em estabelecimentos públicos do município".

A administração da unidade lembrou ainda que o local recebe centenas de pacientes por dia com as mais variadas doenças e, no contexto da pandemia, é necessário cumprir todas as regras estipuladas em prol da saúde coletiva.

De acordo com a apuração do G1, a Guarda Civil Metropolitana (GCM) chegou a ser chamada, mas Oswaldo já teria deixado o local. Posteriormente, ele e a gerente da UBSF foram à delegacia para registrar boletim sobre o episódio.