Homem é preso por matar jovem e balear bebê na cabeça na PB

Homem foi preso após atentando em João Pessoa - Foto: Getty Images
Homem foi preso após atentando em João Pessoa - Foto: Getty Images
  • Homem foi preso por matar um jovem a tiros e balear um bebê em João Pessoa

  • A criança foi resgatada, passou por procedimento em hospital e responde bem

  • A suspeita da polícia é de que o crime tenha sido motivado por rixa entre facções

Um homem foi preso na última quarta-feira (28) em João Pessoa-PB por invadir uma residência, matar um jovem de 19 anos e disparar contra a filha dele, de apenas 1 ano.

De acordo com informações do g1, a vítima fatal foi identificada como Ramon Vagner da Silva Nascimento. O rapaz foi atingido por quatro tiros, chegou a ser levado para um hospital, mas não resistiu.

A filha dele foi baleada na cabeça e também foi transferida para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. Ela teve a bala retirada do cérebro e responde bem ao tratamento.

O crime aconteceu na terça (27). Ramon estava em seu quarto, colocando uma roupa para ir à igreja, quando Wesley Lohan Quirino do Nascimento, de 25 anos, invadiu a casa.

Uma garota de 7 anos, que estava na sala, assustou-se e foi chamar Ramon. Neste momento, Wesley disparou contra a cabeça da bebê.

O criminoso, então, invadiu o quarto e deu os quatro tiros em Ramon.

A Polícia Civil explicou que encontrou Wesley no mesmo bairro onde ocorreu o crime. Ele usava uma tornozeleira eletrônica e tentou resistir à prisão.

Suspeita de rixa

A delegada responsável pelo caso, Josenise de Andrade, explicou que a suspeita é de que o ataque esteja relacionado a rixas antigas de facções criminosas e que Ramon já havia sido alvo de um atentando.

“A vítima já havia feito parte da facção criminosa a qual o suspeito faz parte. Há algum tempo houve uma dissidência e ele [Ramon] foi para a facção rival. A família fala que há cerca de um ano ele estava afastado do mundo do crime, estava na igreja evangélica, mas ainda recebia recorrentes ameaças de morte. Inclusive a casa da vítima tem várias marcas de tiros que não foram feitos no dia de ontem. São anteriores, onde a vítima já havia sido alvo de uma tentativa de homicídio também praticada pelo suspeito”, disse ao g1.