Homem é preso por trancar namorada por 36 horas no Rio

Pedro Polônia de Gouvea e Silva foi preso por manter a namorada presa por 36 horas. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
Pedro Polônia de Gouvea e Silva foi preso por trancar a namorada por 36 horas. (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Um homem identificado como Pedro Polônia de Gouvea e Silva, de 41 anos, foi preso por manter a namorada trancada em seu apartamento por 36 horas.

O caso aconteceu nesta quinta-feira (28) no bairro de Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro.

Policias civis da 13º DP (Ipanema) prenderam Silva em flagrante pelos crimes de injúria, lesão corporal e tortura. Na quinta-feira (28), o agressor passou por uma audiência de custódia e a juíza Ariadne Villela Lopes, do 5º Juizado de Violência Doméstica, decidiu mantê-lo preso preventivamente.

Em sua decisão, a juíza afirmou que “os fatos narrados pela vítima são graves, visto que essa teria sido mantida sem seu consentimento na residência do custodiado, que a teria ameaçado de morte, de ter a mão amputada e sob palavras de humilhação e xingamentos”.

Investigação

As investigações da polícia começaram na segunda-feira (25) após a namorada de Pedro abrir um boletim de ocorrência na delegacia. Ela contou que não morava no Rio de Janeiro e que chegou a cidade no dia 10 de julho. De acordo com ela, o namorado a ameaçou de morte caso ela chegasse. Os dois se relacionavam há pelo menos cinco anos. Ainda segundo a vítima, ela passou a ser agredida por Pedro diversas vezes desde que chegou em sua casa.

O namorado, que trabalha como recepcionista em um hotel, também a manteve em cárcere, trancada no imóvel, por um dia e meio. Agentes da 13ª DP passaram, então, a fazer buscas na região para encontrar o suspeito. Eles chegaram a ficar de plantão na casa do namorado da vítima, quando conseguiram realizar a prisão.

Como fazer denúncia de violência doméstica?

Se você for vítima de violência doméstica e familiar, o primeiro passo é fazer o boletim de ocorrência. Desde julho de 2020, com a lei nº 14.022, esse processo pode ser feito de forma online, sem precisar da presença física da mulher na delegacia.

Os links para denúncias online variam de estado para estado, mas são facilmente achados quando se pesquisa “boletim de ocorrência + nome do estado” em sites de busca. Na realização do boletim de ocorrência online, assim como na delegacia, é gerada uma numeração, que pode ser acompanhada até que a medida protetiva seja deferida.

Em até 48 horas após a denúncia, a polícia vai investigar os fatos e o procedimento vai para o Juizado de Violência Doméstica para definir a medida protetiva.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos