Homem é preso suspeito de assediar e ofender deputada Isa Penna no interior de SP

Deputada estadual Isa Penna acusou homem de assediá-la neste sábado enquanto ela fazia ato de campanha em Botucatu (SP).
Deputada estadual Isa Penna acusou homem de assediá-la neste sábado enquanto ela fazia ato de campanha em Botucatu (SP).

Um homem foi preso em flagrante neste sábado (24) após assediar e ofender verbalmente a deputada estadual Isa Penna (PC do B).

Ela fazia uma caminhada de campanha quando supostamente foi vítima de importunação sexual e lesão corporal. Segundo relato que consta no boletim de ocorrência, a deputada estava acompanhada de seus apoiadores na rua Marechal Deodoro quando foi abordada pelo suspeito que pediu para tirar uma foto com ela. Após o registro, o homem teria agarrado a cintura dela, além de tê-la apertado. O suspeito teria ainda cochichado no ouvido dela: “você é uma vadia, o assédio com o Fernando Cury não aconteceu”.

Em seguida, o suspeito tentou fugir, mas a deputada contou que o encontrou em meio à multidão e pediu que repetisse as ofensas, o que, segundo ela, não ocorreu.

O agressor foi preso e encaminhado para a cadeia de Itatinga (SP), onde permanece até a audiência de custódia, que deve ocorrer neste domingo (25).

O celular do suspeito foi apreendido e a polícia solicitou exame de corpo de delito para a vítima. A deputada postou um vídeo nas redes sociais narrando os detalhes do acontecimento. Na legenda, escreveu: “Fiquei meio em choque, mas fui atrás dele e disse: 'Repete agora que tem um monte de gente em volta', mas ele não repetiu”.

Assédio na Alesp

O caso de assédio envolvendo o deputado Fernando Cury que o suspeito de assediar e ofender Isa Penna se referiu ocorreu em dezembro de 2020. Cury foi flagrado passando a mão no seio da deputada Isa Penna em um abraço por trás, durante a votação do orçamento do estado para este ano. O crime foi registrado pela câmera da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). Na ocasião, a deputada fez boletim de ocorrência contra o deputado por importunação sexual. A denúncia do MP-SP (Ministério Público de São Paulo) foi aceita em dezembro de 2021, quando foi instaurada uma ação penal contra o deputado e um pedido de reparação por danos morais.

Antes, o deputado foi expulso do seu então partido, o Cidadania.

Já neste ano, a Alesp aprovou por unanimidade uma resolução que determinou a suspensão do mandato de Fernando Cury por 180 dias, decisão inédita na Casa. Após os dias de suspensão da Alesp determinados pela Casa, Cury retomou o mandato.