Homem é preso suspeito de matar esposa e enteados 28 dias após casamento

Marlon Christian é suspeito de encomendar o crime por questões passionais e patrimoniais. (Foto: Reprodução)

Duas pessoas foram presas no Rio de Janeiro suspeitas pela morte de Fabiane Azevedo Barbosa Dias, 36 anos, e de seus filhos, Tainá, de 6 anos, e Gabriel, de 11. Um dos acusados é o técnico de sistemas de monitoramento Marlon Christian Leite Dias, que havia se casado com a vítima 28 dias antes do crime.

As informações são do jornal Extra.

Fabiane e as crianças desapareceram há sete meses, e de acordo com o inquérito da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), eles foram sequestrados e mortos. Os corpos de mãe e filhos ainda não foram encontrados.

Marlon Christian é suspeito de encomendar o crime por questões passionais e patrimoniais. Ele é padrasto das duas crianças, que são frutos de um relacionamento anterior de Fabiane.

A primeira prisão, em abril, foi de Marcos Carlos André Vieira dos Santos, um dos vizinhos da dona de casa e peça chave para a polícia chegar até Marlon. Segundo o delegado Moysés Santana, o homem negou ter cometido o assassinato, mas afirmou que o marido de Fabiane queria contratá-lo para executar a esposa e as crianças.

No dia 17 de outubro do ano passado, Fabiane e os filhos estavam em casa quando foram surpreendidos por homens armados, e m Itaguaí, na Baixada Fluminense, e colocadas num furgão. O veículo desapareceu, e a família não foi mais vista.

LEIA MAIS

Por má articulação, Governo pode perder 10 MPs

Rio inicia mutirão para coleta DNA de detentos

Os criminosos tentaram dificultar a investigação da polícia e forjaram uma mensagem pelo celular de Fabiane para o marido, dizendo que estava indo embora de casa porque o local onde morava estava repleto de bandidos. No entanto, a família observou erros de português e abreviação que não eram usadas por ela.

Marlon e Marcos estavam em prisão temporária desde abril, até que no último dia 7 de maio, o juiz Adolfo Vladimir da Rocha, da Vara Criminal de Itaguaí, decretou a prisão preventiva da dupla. Eles foram transferidos para o sistema penitenciário e vão responder por homicídio e ocultação de cadáver.