Homem gasta quase R$ 6 mil em prostíbulo em SP e chama mãe para pagar dívida

·1 minuto de leitura
Homem não tinha dinheiro para arcar com a dívida - Foto: Getty Images
Homem não tinha dinheiro para arcar com a dívida - Foto: Getty Images
  • Homem gastou R$ 5,7 mil em prostíbulo e não tinha dinheiro para pagar

  • O rapaz chamou a mãe, que também não tinha a quantia necessária

  • Caso foi parar na polícia, após partes falharem na tentativa de chegar a acordo

Um homem recorreu à ajuda da mãe para se safar após contrair uma dívida de quase R$ 6 mil em um prostíbulo da cidade de São José do Rio Preto, interior de São Paulo. O caso foi noticiado pelo UOL.

O corretor de imóveis de 31 anos foi à casa de entretenimento adulto na madrugada do último domingo. Entre bebidas e serviços sexuais das mulheres que trabalham no local, gastou nada menos do que R$ 5,7 mil.

Leia também:

O rapaz foi surpreendido pelo valor e não tinha dinheiro suficiente para arcar com a despesa. Segundo o boletim de ocorrência, o rapaz, que é casado, deixou o carro no estabelecimento e foi embora.

Momentos depois, ele retornou acompanhado da própria mãe, uma idosa aposentada de 68 anos. Também sem dinheiro suficiente, ela tentou negociar o valor com a proprietária do prostíbulo, mas sem sucesso.

Inicialmente, a senhora sugeriu deixar o documento do veículo no local, como garantia, mas ficou com medo que o mesmo, que era alugado fosse retido.

Polícia foi chamada

A idosa, então, chamou a Polícia Militar que a levou junto com o filho e a proprietária do estabelecimento à delegacia. O delegado de plantão, porém, entendeu que não havia situação criminal e que o assunto deveria ser resolvido entre as partes.

Uma ocorrência não criminal foi registrada e todos foram liberados. Não há informações sobre o pagamento da dívida.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos