Homem morre e mulher é hospitalizada após tomar composto de cloroquina para Covid-19 nos EUA

Ana Paula Blower
Profissional da área de saúde atende cidadã de Nova York, nos Estados Unidos

Um homem de 60 anos morreu e sua esposa, com a mesma idade, foi hospitalizada nos Estados Unidos após ingerirem uma forma de cloroquina, um produto químico recentemente apontado como um possível "divisor de águas" no combate ao novo coronavírus. As identidades dos dois não foram reveladas.

As informações sobre o que ocorreu com o casal são, segundo a National Public Radio, uma organização americana de mídia sem fins lucrativos, de um hospital de Phoenix, nos EUA, onde eles ficaram internados. Em um comunicado, o Banner Health informou que o homem e a mulher ingeriram “fosfato de cloroquina, um aditivo comumente usado em aquários para limpar tanques de peixes". O aditivo para aquário que o casal ingeriu, portanto, não é o mesmo que o medicamento usado no tratamento da malária, cujo uso é investigado para tratar coronavírus.

"Trinta minutos após a ingestão, o casal apresentou efeitos que exigiam internação", afirma o comunicado, de acordo com a NPR. De acordo com o hospital, o homem morreu de parada cardíaca e a mulher foi internada em estado crítico.

"Dada a incerteza em torno do Covid-19, entendemos que as pessoas estão tentando encontrar novas maneiras de prevenir ou tratar esse vírus, mas a automedicação não é a maneira de fazê-lo", disse Daniel Brooks, diretor do centro de estudos Banner Poison and Drug Information.