Homem morto por vizinho após soltar rojão celebrava melhora no câncer da mãe; entenda

Homem foi morto por vizinho após soltar fogos - Foto: Reprodução
Homem foi morto por vizinho após soltar fogos - Foto: Reprodução
  • Homem foi morto a tiros pelo próprio vizinho após discussão por causa de fogos de artifício

  • Vítima soltava rojões com a irmã para celebrar a melhora no estado de saúde da mãe

  • Idoso irritou-se com o barulho, foi para a rua e disparou contra o rapaz, que não resistiu

Um homem foi morto a tiros pelo próprio vizinho na noite da última segunda-feira (2) em São Bernardo do Campo, em São Paulo, após uma briga por conta de fogos de artifícios.

Francisco Nicolás Lopes tinha 38 anos, chegou a ser levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Riacho Grande, mas não resistiu aos fermentos causados pelo disparo que atingiu sua cabeça.

O que se sabe sobre o crime:

Disparos foram motivados por fogos

Francisco estava com a irmã, Juliana Nicolás Lopes, a sobrinha, de 9 anos, e um amigo em uma rua na Vila Balneária soltando fogos.

O barulho dos rojões irritou o vizinho Mário D'Amore Júnior, um idoso de 74 anos, que saiu de casa empunhando uma espingarda e caminhou na direção do grupo em meio a gritos e ameaças.

Filmagem mostra parte do episódio

Ao perceber que o homem estava armado, Juliana passou a filmar o episódio com um celular. Mário grita que tem "animal em casa", reclama dos fogos, xinga o grupo e manda todos se deitarem.

A mulher e o irmão pedem desculpas e avisam que vão parar com os rojões, mas o vizinho segue irritado e assusta a criança de 9 anos, que começa a gritar por "socorro". Nesse momento, o vídeo é interrompido.

Segundo relatou Juliana ao portal g1, Mário "atirou (em Francisco), virou e saiu andando". "Achei que ia matar todo mundo, e corremos para dentro de casa."

Suspeito "não se lembra" de tiro

A Polícia Militar foi chamada e prendeu o idoso em flagrante. Em depoimento, ele afirmou que irritou-se com o barulho dos fogos porque estava assustando seus animais.

Ele confirmou que saiu de casa, entrou em discussão com Francisco, mas disse não se lembrar do tiro e garantiu que tinha apenas uma "arma de chumbinho", que foi encontrada na sala de sua casa.

Fogos para celebrar

Juliana relatou ao g1 que ela e o irmão soltavam fogos na rua para celebrar a melhora no estado de saúde da mãe, que luta contra um câncer agressivo e passou a responder bem aos medicamentos nos últimos dias.

"Minha mãe mal conseguia levantar da cama e saiu da quimioterapia para outros remédios. Ela melhorou muito e estávamos felizes por isso. Foi uma melhora absurda e até saiu da cama. A mãe do meu amigo que estava com a gente está com câncer também, mas avançado. A gente só queria brincar com as crianças com o ano vencido", relatou.

Casamento planejado

Ainda de acordo com a irmã, Francisco planejava casar com sua noiva ainda este ano. A mulher estava na Alemanha na noite do assassinato e não conseguiu voltar a tempo para o enterro, ocorrido na última terça (3).