Homem que atirou no sogro ligou para contar para a namorada que matou o pai dela

Policial aposentado João do Rosário Leão, de 63 anos, foi baleado na farmácia onde era dono; Ele era sogro do suspeito - Foto: Reprodução/TV Anhanguera
Policial aposentado João do Rosário Leão, de 63 anos, foi baleado na farmácia onde era dono; Ele era sogro do suspeito - Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Felipe Gabriel Jardim, acusado de ter atirado no sogro após descobrir que ele tinha o denunciado na polícia por ameaça, ligou para a namorada Kênnia Yanca, de 26 anos, e contou que tinha matado o pai dela, que era policial civil aposentado, e que iria matá-la.

O crime aconteceu na manhã desta segunda-feira (27), na Avenida T-4, no Setor Bueno, em Goiânia. João do Rosário Leão, de 63, morreu após ser baleado pelo genro dentro da própria farmácia.

A namorada do acusado, disse que ainda tentou avisar o pai que Felipe estaria a caminho da farmácia para matá-lo

"Ele me ligou cedo quando soube [da ocorrência] e falou que ia matar o meu pai. Eu fui correndo atrás do meu pai, mas ele não atendia. Eu peguei o carro e fui para lá, só que o pneu furou e eu não consegui. Quando eu desci para pedir ajuda, ele ligou para dizer que matou meu pai e ia atrás de mim", disse Kênnia.

Uma câmera de dentro da farmácia registrou quando o Felipe Gabriel chegou ao local apontando a arma para a vítima. Após ele atirar, João do Rosário cai ao chão e o homem ainda pula no balcão para ver se ele tinha sido atingido e continua atirando.

No vídeo da câmera de segurança é possível ver que João estava mexendo no celular, atrás do balcão, quando foi baleado.

João ainda foi levado ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com familiares, João era um policial civil aposentado há cinco anos e, há três anos, tinha aberto a farmácia em sociedade com o outro genro. No local, trabalhavam também as duas filhas dele: Kênnia Bianka, de 27 anos, que é contadora e está grávida, e Kênia Yanka, de 26, namorada do suspeito do crime.

No momento do crime Kênia Bianka estava na farmácia junto com o pai. Apesar de ter implorado para que o suspeito não fizesse nenhum mal a eles, ela conta que o cunhado já chegou ao local gritando.

“Você acabou com a minha vida, você acabou minha vida. Eu pedi: 'pelo amor de Deus não faz isso, eu estou grávida’. Meu pai caiu no meu pé e ele veio por trás do balcão e deu mais um tiro”, disse Kênia Bianka.

Felipe Gabriel foi nomeado na semana passada para o cargo comissionado de gerente de sinalização na Secretaria Municipal de Mobilidade de Goiânia. Em nota, a pasta lamentou o crime e informou que ele será exonerado.

Também em nota, a Polícia Civil disse que a Delegacia de Investigação de Homicídios (DIH) já instaurou um inquérito e trabalha na elucidação do crime. A corporação disse ainda que o autor já foi identificado e que diligências estão sendo feitas para localizá-lo. A PC ainda lamentou a morte do policial civil aposentado.

"Neste momento de dor, a Polícia Civil se solidariza com todos os amigos e familiares por esta perda e reitera seu compromisso na investigação e resolução do crime praticado contra o policial", disse a nota.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos