Homem que esfaqueou Bolsonaro pode pegar até 20 anos de prisão

O homem que foi preso acusado de esfaquear o candidato à presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, pode pegar até 20 anos de prisão. Adélio Bispo de Oliveira, que segundo a Polícia Federal teria confessado o crime, foi enquadrado no artigo 20 da Lei de Segurança Nacional.

O artigo  diz que é crime  crime com pena de reclusão de três a 10 anos quem “devastar, saquear, extorquir, roubar, sequestrar, manter em cárcere privado, incendiar, depredar, provocar explosão, praticar atentado pessoal ou atos de terrorismo, por inconformismo político ou para obtenção de fundos destinados à manutenção de organizações políticas clandestinas ou subversivas”.

O referido artigo ainda que, se enquadrado no crime de lesão corporal grave, o crime pode ter sua pena dobrada. Assim, Adélio pode pegar até 20 anos de prisão.

Adelio Bispo de Oliveira está sendo transferido de Minas Gerais para Mato Grosso do Sul.

De Campo Grande, ele será levado para um presídio federal de segurança máxima, de acordo com a “GloboNews”

Ainda segundo o canal, essa decisão foi tomada durante a audiência de custódia nesta sexta (7) pela juíza federal Patrícia Alencar Teixeira. A audiência foi acompanhada pelo Ministério Público Federal (MPF).

O ataque contra Jair Bolsonaro ocorreu  enquanto ele participava de um ator e campanha nos arredores do Parque Halfeld —um dos locais mais movimentados de Juiz de Fora (MG), na última quinta-feira (6). O político estava sendo carregado nos ombros por apoiadores quando foi atingido por uma facada.

Depois de ser operado em Juiz de Fora, Bolsonaro foi transferido na sexta-feira (7) para o hospital Albert Einstein, em São Paulo. Ele se recupera bem, de acordo com o boletim médico.