Homem que estuprou irmãs e bateu em bebê é indiciado por seis crimes no MS

Imagem divulgada pela polícia do suspeito de estuprar 2 adolescentes e agredir bebê em MS — Foto: DPCA/Divulgação/Reprodução G1

Seis crimes: essa é o número de delitos que a Polícia Civil afirma que José Maria Rodrigues Pereira, de 41 anos, acusado de estuprar duas irmãs, de 13 e 16 anos, além de agredir um bebê de apenas um ano de idade [irmão das adolescentes], teria cometido. O pintor, que ainda fugiu logo após deixar a casa das vítimas, teve a prisão decretada no mês passado e foi preso enquanto caminhava na cidade de Campo Grande, cidade em que o caso escabroso se passou. As informações são do Portal G1.

"Nós relatamos o inquérito e encaminhamos ao poder judiciário. Ao todo, foram ouvidas 11 testemunhas, incluindo as irmãs, colegas de trabalho dele, a mãe das crianças, a esposa do acusado, além de servidores da Agepen [Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário]", disse ao portal a delegada Anne Karine Trevisan, responsável pelas investigações.

Leia também

Faustão, como é conhecido, deve responder a: lesão corporal dolosa, roubo qualificado, estupro, estupro de vulnerável, satisfação de lascívia e também por filmar cenas de sexo envolvendo menores, delito que consta no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). As penas, somadas, podem superar os 30 anos de reclusão.

A técnica de enfermagem, de 54 anos, que há 5 convivia com “Faustão”, disse ter conhecimento de crimes hediondos cometidos por ele no passado. Ainda assim, ela disse não que não fazia ideia de que ele ainda estaria cometendo crimes.

"Ela falou que sabia que ele ficou 8 anos preso, em regime fechado, por crimes hediondos. Esse é o termo que foi usado por ela no depoimento. A mulher ainda disse: eu quis ajudar".

Crime terrível

A delegada responsável pelo caso relata a crueldade dos crimes cometidos pelo pintor, que esperou a técnica de enfermagem sair da casa para invadir a residência e cometer os crimes.

"Ele usava facas para ameaçá-las, usou a corda de uma rede para amarrá-las, as agrediu fisicamente, estuprou a mais velha e obrigou a mais nova a filmar. Depois praticou atos libidinosos com a mais nova [o que caracteriza o estupro de vulnerável]. Ele também deu um tapa no rosto do bebê de 1 ano que estava chorando. Usou de bastante violência, esse é o modus operandi dele, os estupros que ele já responde têm essa característica na forma dele atuar".

Segundo a deputada, “Faustão ainda comeu bolo e tomou leite após cometer os crimes, deixando muitas digitais por toda a casa. Ele ainda teria deixado as adolescentes amarradas e roubado alguns objetos da casa antes de fugir.