Homem que matou 4 pessoas em Oklahoma tinha como alvo cirurgião que o operou, diz polícia

Equipes de emergência em uma unidade do Sistema de Saúde St. Francis em Tulsa, Oklahoma

Por Michael Noble Jr.

TULSA, Oklahoma (Reuters) - A polícia de Tulsa disse nesta quinta-feira que o homem que matou quatro pessoas a tiros em uma unidade médica na cidade do Estado norte-americano de Oklahoma foi ao local para matar um médico que ele culpava pelas dores que sentia após uma cirurgia.

O atirador, identificado como Michael Lewis, entrou em uma unidade do Sistema de Saúde St. Francis com uma arma do tipo AR-15 e abriu fogo, matando dois médicos e duas outras pessoas, disse o chefe da polícia de Tulsa, Wendell Franklin, em entrevista coletiva.

Lewis, que se matou, deixou uma carta no local, disse Franklin.

Além das quatro pessoas mortas, várias outras ficaram feridas.

O ataque ocorreu após dois tiroteios em massa que chocaram os norte-americanos e reabriram um longo debate sobre um maior controle sobre a posse de armas de fogo e o papel da saúde mental na epidemia de violência armada que assola os Estados Unidos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos