Homem que matou menina após estupro no RS tinha intenção de tirar a vida dela, diz delegado

·3 minuto de leitura

RIO - A Polícia Civil do Rio Grande do Sul acredita que o suspeito de estuprar e matar uma menina de 5 anos em Lajeado, no Vale do Taquari, no último sábado, abusou sexualmente da criança já com a intenção de tirar a vida dela em seguida. O corpo da vítima foi encontrado boiando em um rio, sem roupas, pouco após o crime. O homem de 35 anos foi preso em flagrante.

O agressor convidou a menina para acompanhá-lo até um mercado, a menos de 100 metros da residência onde ela morava. A mãe da criança, que conhecera o homem há alguns meses, permitiu o passeio. Mais de uma hora depois, sem sinal dos dois, ela saiu para procurá-los e informou policiais sobre o sumiço.

Segundo o delegado Dinarte Marschall Júnior, que atendeu o caso em seu plantão, o suspeito seguiu em direção ao Rio Taquari, com a menina na garupa, conforme relatou uma testemunha. A hipótese é que o homem já planejava a morte da criança, para que se livrasse do corpo. Isso porque na direção oposta há uma mata, onde ele poderia ter violentado a menina sem percorrer uma distância maior.

— Ele andou bastante até chegar na barranca do rio. Tanto que uma das testemunhas o viu carregando a menina na garupa. Ele poderia ter ido a leste do mercado, onde tem uma área verde, uma grande área de mata, que seria mais perto. Tanto que, quando iniciamos as buscas, concentramos nessa área verde. Depois que veio a informação de que ele teria sido avistado. Imaginamos que desde o início a intenção era tirar a vida dela e jogar o corpo no rio — afirmou o delegado ao GLOBO.

O suspeito foi detido na tarde de sábado após ser avistado com a roupa molhada e suja de barro na direção da barranca do rio. Ele também apresentava sinais de luta corporal e arranhões. Após uma testemunha alertar que o viu caminhando com a garota em suas costas, um policial militar localizou o corpo da menina boiando. Ela foi encaminhada ao hospital Bruno Born, onde deu entrada com uma parada cardiorrespiratória e teve sua morte constatada.

Os médicos que atenderam a criança verificaram vestígios de violência sexual e lacerações, que indicavam que ela havia sido abusada e morta em seguida. A menina foi lançada no rio já sem respirar.

— A morte foi anterior. A menina não aspira água e não afunda — disse o delegado. — Foi um dos crimes mais bárbaros que já se viu em Lajeado nos últimos tempos — emendou.

O homem foi autuado em flagrante por estupro de vulnerável com resultado de morte, crime que pode resultar em uma pena de até 30 anos de prisão. O suspeito foi levado para o Presídio Estadual de Lajeado, onde segue detido. Questionado pela autoridades, ele disse não saber de nada.

As autoridades já solicitaram perícias e a necropsia para confirmar o estupro. As roupas do agressor também foram coletadas e serão submetidas a análise. O caso será apurado pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) de Lajeado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos