Homem que matou mulher trans a pauladas vira réu

Homem que matou mulher trans a pauladas vira réu

O MP-SP (Ministério Público de São Paulo) informou, nesta terça-feira (14), que o homem que matou a pauladas a jovem transexual Larissa Rodrigues da Silva perto da avenida Indianópolis no último dia 4 virou réu no processo nesta segunda-feira (13).

A Justiça aceitou a denúncia feita pelo promotor Romeu Galiano Zanelli Junior contra Jonatas Araújo dos Santos. Segundo o membro do MP-SP, no dia do crime, Larissa trabalhava como garota de programa na região.

Santos, então, parou seu carro perto da jovem, que estava com uma amiga, e disse apenas que tinha sido roubado. As duas afirmaram que não sabiam de nenhum roubo, pois nem o conheciam.

Ele se afastou por um tempo e, minutos depois, voltou para o local de forma discreta, para que não fosse notado pela vítima. Chegando perto de Larisssa e de sua amiga com um pedaço de madeira, ele passou a acertar golpes na cabeça da jovem. De acordo com a denúncia, ele não falou nada para as duas e bateu na jovem com intenção de matar.

Ainda de acordo com a promotoria, a jovem chegou a correr e a atravessar a rua, mas o homem continuou a seguindo enquanto dava mais golpes em sua cabeça. Com essa insistência, ela foi derrubada na calçada oposta a qual começaram as agressões. Ela morreu no local.

Santos também correu atrás da amiga de Larissa para também acertar golpes de madeira nela, mas ela conseguiu fugir do local. Em seguida, ele pegou seu carro que estava estacionado perto da região e foi embora. Dois dias depois do crime, o homem se apresentou à Polícia Civil e afirmou que tinha agido em legítima defesa.

De acordo com o membro do MP-SP, o homem cometeu o crime com emprego de meio cruel, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima. Além disso, o promotor disse que o assassinato foi cometido pelo fato de Santos ter menosprezo e discriminação à condição da vítima.