Homem que roubou mil testes de Covid-19 é preso em São Paulo

·2 min de leitura
Homem que roubou mil testes foi preso em flagrante em São Paulo
Homem que roubou mil testes foi preso em flagrante em São Paulo. (Foto: Getty Images)

Um homem que roubou mil testes de Covid-19 foi preso, na noite desta terça-feira (11), em São Paulo. O motoboy de 32 anos foi detido em flagrante na Vila Medeiros, zona Norte da capital, após tentar desviar a entrega de 1,5 mil testes e fazer falsa denúncia de crime.

De acordo com a polícia, o rapaz, que trabalha como motoboy, ligou para a polícia para informar que tinha sido roubado na região da Vila Sabrina. Policiais do 5º Batalhão chegaram ao local, e o suspeito informou que a chave de sua moto havia sido roubada.

Ao ser interrogado pelos PMs, ele relatou informações contraditórias e, posteriormente, acabou confessando que havia escondido as caixas com os testes em uma borracharia no Belenzinho, na Zona Leste.

O dono da borracharia, onde as caixas estavam escondidas, disse que não participou do roubo e afirmou não conhecer o motoboy, que apenas havia feito um favor a ele.

Os testes eram de uma fornecedora do Jaçanã, e estavam avaliados em R$ 60 mil, e eram destinados para farmácias e empresas de eventos.

O rapaz disse que pretendia vender os testes no mercado paralelo por cerca de R$ 5 mil. Ele foi levado para o 73º DP e autuado em flagrante.

Falta de testes de covid pode acontecer no Brasil, diz associação

A Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed) fez um alerta nesta quarta-feira (12) sobre o risco de falta de insumos para a produção de testes para diagnóstico de covid-19.

"A Abramed alerta que, assim como em outras partes do mundo, a alta demanda de exames laboratoriais para o diagnóstico da Covid-19 trouxe ao setor de medicina diagnóstica brasileiro a preocupação com a falta de insumos necessários para a realização desses exames", destacou a entidade em nota.

De acordo com a associação, o "aumento exponencial de casos", que ocorre em função da variante Ômicron, elevou consequentemente a procura por exames.

"A alta transmissibilidade da nova variante Ômicron causou aumento exponencial de casos, o que vem demandando significativo aumento da capacidade produtiva global de testes, tanto de PCR como de antígeno, e se os estoques não forem recompostos rapidamente poderá ocorrer a falta de oferta de exames", destacou a Abramed.

Associação orientou para que sejam definidos grupos prioritários de testagem

Ainda no comunicado, a entidade orientou que os associados definam grupos prioritários para os testes da seguinte forma:

  • Pacientes que tenham maior gravidade de sintomas

  • Pacientes hospitalizados e cirúrgicos

  • Pessoas no grupo de risco

  • Trabalhadores assistenciais da área da saúde

  • Colaboradores de serviços essenciais

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos