Homem que se incendiou perto de gabinete do primeiro-ministro do Japão está inconsciente, diz canal de TV

TÓQUIO (Reuters) -Um homem que protestava contra o funeral de Estado do ex-primeiro-ministro japonês Shinzo Abe ateou fogo em si mesmo perto do escritório do primeiro-ministro, informou o canal de TV Asahi nesta quarta-feira.

Ele estava inconsciente e um policial que tentou apagar o fogo também ficou ferido, e ambos foram transferidos para um hospital, segundo a reportagem.

Abe foi assassinado no dia 8 de julho, e seu funeral de estado está marcado para o dia 27 de setembro, com a previsão de participação de 6 mil pessoas do Japão e do mundo.

Mas a oposição ao evento tem crescido de maneira constante por conta de revelações após a morte de Abe de conexões entre o Partido Liberal Democrático, do governo, e a controversa Igreja da Unificação. O suspeito na morte de Abe disse que a Igreja foi responsável por levar sua mãe à falência, e que ele sentia que o ex-primeiro-ministro apoiava a instituição.

A maioria dos japoneses agora se opõe ao funeral, e protestos estão sendo planejados nos dias anteriores à cerimônia e no dia de sua realização, o que fez a popularidade do atual primeiro-ministro, Fumio Kishida, despencar.

(Reportagem de Mariko Katsumura, Kaori Kaneko e Elaine Lies)

((Tradução Redação São Paulo))

REUTERS PB