Homem que sequestrou e matou filhas diz que não se lembra das crianças

Pai sequestrou e matou as próprias filhas em cidade do interior de São Paulo. Foto: Getty Images.
Pai sequestrou e matou as próprias filhas em cidade do interior de São Paulo. Foto: Getty Images.
  • Pai foi preso nesta terça-feira

  • Homem não tinha histórico de surtos ou uso de drogas

  • Ele sequestrou e matou as filhas depois de passar noite na casa da ex

Natanael de Lima, de 28 anos, preso nesta terça-feira (23) por sequestrar e matar suas filhas de 5 e 6 anos, em Taquarituba (SP), disse em depoimento que não se lembrava das crianças, nem da mãe delas, sua ex-esposa.

"Fiquei bem chocada com a reação dele. Eu mostrei a foto das meninas e ele falou que não conhecia aquelas crianças, que não tem filhos, não tem ex-mulher e não esteve em Taquarituba. A última lembrança que ele tinha era de que estava trabalhando na roça", disse a delegada Camila Rosa Alves, responsável pelo caso, ao portal G1.

Segundo a Polícia Militar, o casal está separado, mas o homem passou a noite de segunda-feira (23) na casa onde a ex-mulher vivia com Natáli Heloá, de 5 anos, e Natanaeli Vitória, de 6 anos, no Jardim Santa Rita. Na manhã seguinte, uma enteada do suspeito, filha da mulher, foi para a escola, enquanto as meninas mais novas ficariam com uma babá. O pai, no entanto, dispensou os serviços.

No mesmo dia, as meninas foram encontradas mortas. Horas antes, o pai havia anunciado que estava mantendo as filhas reféns, enquanto ameaçava explodir a casa.

Nos últimos meses, de acordo com a delegada, Natanael tentou reatar seu relacionamento com a ex-esposa, mas eles não discutiram na noite anterior ao crime.

"Ele visitava as crianças, tinha um bom relacionamento. As crianças tinham muito afeto por ele. Inclusive uma tia falou pra gente que, na segunda-feira, quando ele estava na casa das crianças, a 'menorzinha' ficava no colo dele o tempo todo. Era uma relação bem afetuosa, não esboçava comportamento violento com as crianças", explica.

Natanael já estava casado com outra mulher, de acordo com a Polícia Civil, e não tinha mais relação com a mãe de suas filhas. Ele tampouco tinha histórico de surto psicótico e nem realizava tratamento psiquiátrico. A possibilidade de uso de drogas também foi descartada.

"As pessoas que conviviam com ele falaram que ele sempre teve um temperamento normal, que era trabalhador, responsável. Na casa não foi encontrada nenhuma substância ilícita e foi descartada a possibilidade de ele estar drogado. Foram encontradas quatro latinhas de cerveja e só", disse a delegada Camila.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos