Homem que sumiu após briga no RJ mandou mensagem à esposa: “Se der ruim, sabe onde estou”

·2 min de leitura
Thomás mandou mensagem para a esposa antes de desaparecer - Foto: Arquivo Pessoal
Thomás mandou mensagem para a esposa antes de desaparecer - Foto: Arquivo Pessoal
  • Thomás desapareceu após ir a uma casa noturna no bairro Gardênia Azul, controlado pela milícia

  • Ele enviou mensagem à esposa dizendo: "Se der ruim, você sabe onde eu estou"

  • Seu veículo foi encontrado queimado no dia seguinte, próximo ao local

Um homem está desaparecido desde o último domingo, quando visitou uma casa noturna no bairro Gardênia Azul, no Rio de Janeiro, com um amigo. A suspeita da família é de que ele tenha sido executado.

Segundo relatos de presentes, Thomas de Souza Barros deixou o bar da família, no bairro do Pechincha, onde trabalhava, após fechá-lo já na madrugada de domingo (12). Ele enviou uma mensagem à esposa avisando que iria à Gardênia Azul, área controlada pela milícia no Rio.

Leia também:

“Amor, tô indo no Gardênia. Se der ruim, sabe onde eu estou”, escreveu o rapaz pouco depois das 3h. Posteriormente, às 4h16, ele ainda mandou uma última mensagem à esposa, escrita apenas “Gardênia”.

Thomas teria ido a uma casa noturna no bairro com um amigo chamado Jefferson, apelidado de DJ. Além do contato com a mulher, ele teria enviado um vídeo a um amigo no qual parecia estar em um baile funk.

A conversa de Thomás com a esposa - Foto: Arquivo Pessoal
A conversa de Thomás com a esposa - Foto: Arquivo Pessoal

Segundo testemunhas, o rapaz se envolveu em uma briga e foi arrastado para dentro do baile, na comunidade Campo do Favelão. O comerciante teria sido vítima de milicianos e executado, de acordo com suspeita da família.

"Quando ele mandou outra mensagem com a palavra Gardênia, a gente acredita que ele estava pedindo algum tipo de ajuda, mas a esposa dele estava dormindo em casa, com o filho, e só viu a mensagem depois das 7h", contou ao UOL a irmã de Thomas, Thainá.

Carro do rapaz foi queimado

Horas depois, o carro do comerciante foi encontrado queimado, em uma área abandonada na Avenida Ayrton Senna. No Campo do Favelão, a polícia também localizou manchas de sangue.

Uma das hipóteses levantadas é de que o corpo de Thomas tenha sido jogado em um mangue próximo à região do crime, mas ainda não houve comprovação.

“Que o meu irmão foi executado, isso nós já sabemos, não nos resta dúvida. Porém, a nossa família só quer o corpo e entender o motivo disso tudo, já que ele era um menino de bem, trabalhador. Ele tinha a família dele, os filhos que ele era apaixonado, as crianças só choram, estão desesperadas. Meu sobrinho de 9 anos pergunta se vai poder pelo menos enterrar o pai, se despedir, pergunta pelo corpo e a gente não sabe o que falar. Nós não sabemos o que aconteceu, o que levou a isso", disse Thainá.

Thomás era casado e pai de duas crianças: um menino de 9 anos e uma garota de 2.

Jefferson, com quem ele estava naquela madrugada, foi visto comprando gasolina na manhã de domingo. A família de Thomás tentou repetidamente contato com o rapaz, mas sem sucesso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos