Homem reconhecido como filho do fundador da Weg deve receber R$ 1 bilhão em herança

The company logo for Weg is displayed on a screen on the floor of Brazil's B3 Stock Exchange in Sao Paulo, Brazil, July 25, 2019. Picture taken July 25, 2019. REUTERS/Amanda Perobelli
The company logo for Weg is displayed on a screen on the floor of Brazil's B3 Stock Exchange in Sao Paulo, Brazil, July 25, 2019. Picture taken July 25, 2019. REUTERS/Amanda Perobelli
  • O acordo na justiça foi firmado após batalha judicial que durou mais de 7 anos.

  • O homem foi reconhecido como filho do empresário Eggon da Silva, que morreu aos 85 anos, em 2015

  • Eggon tem uma fortuna avaliada em cerca de R$ 7 bilhões.

Após uma longa batalha judicial, que durou 7 anos, um acordo na Justiça garantiu a um homem de Santa Catarina receber cerca de R$ 1 bilhão como herança após ser reconhecido como filho de um dos empresários mais ricos do estado: Eggon da Silva, que morreu aos 85 anos, em 2015

Lucas Demanda da Silva, de 28 anos, deu início ao processo após entrar com uma ação para reconhecimento de direitos. Agora, ele receberá o valor em cinco parcelas, sendo a última programada para ser paga em 2023. Até o momento, Lucas já recebeu duas parcelas.

O acordo deu fim aos processos que envolviam a herança e o inventário de Eggon, que tem outros cinco filhos com a esposa, além do herdeiro reconhecido fora do casamento. O documento judicial prevê que a fortuna de Eggon, que chegou a integrar a lista de bilionários da revista Forbes, será dividida entre os herdeiros.

O processo segue em sigilo de justiça além de causas de confidencialidade, fator que proíbe discussão entre as partes sobre o caso.

O novo herdeiro foi reconhecido como filho após a morte do empresário, um dos fundadores da WEG, uma das maiores fabricantes de motores elétricos do mundo. A fortuna de Eggon da Silva é estimada US$ 1,3 bilhão, cerca de R$ 7 bilhões.

A WEG relatou em nota que não se manifestará sobre o processo porque a empresa não integra a disputa envolvendo os herdeiros e que a fabricante segue sem qualquer alteração em função do acordo. A companhia do falecido empresário tem sede na cidade catarinense de Jaraguá do Sul.