Homem se declara culpado de agredir jornalista da Reuters durante invasão ao Capitólio dos EUA

Explosão causada por bomba da polícia durante invasão de apoiadores de Trump ao Capitólio

Por Sarah N. Lynch

WASHINGTON (Reuters) - Um homem do Estado norte-americano de Illinois se declarou culpado de agredir um jornalista da Reuters e um policial durante o ataque de 6 de janeiro de 2021 ao Capitólio dos Estados Unidos por apoiadores do então presidente dos EUA, Donald Trump.

Shane Jason Woods, 44 anos, de Auburn, se declarou culpado em uma audiência em um tribunal federal em Washington por uma acusação de agressão, resistência ou impedimento à polícia e uma acusação de contravenção por agressão, espancamento e ferimento dentro do território dos EUA.

Embora as duas acusações combinadas tenham uma sentença máxima legal de 9 anos de prisão, sob as diretrizes de condenação dos EUA, Woods pode enfrentar entre 33 e 41 meses de prisão, disse o juiz distrital Amit Mehta.

No ano passado, Woods se tornou o primeiro réu a ser acusado de agredir um profissional da imprensa durante a invasão.

No total, 11 pessoas foram acusadas de agredir jornalistas naquele dia, enquanto cerca de 269 foram acusadas de agredir, resistir ou impedir policiais, de acordo com dados do Departamento de Justiça.

Ao todo, mais de 870 pessoas foram acusadas de crimes relacionados ao ataque ao Capitólio.

((Tradução Redação São Paulo))

REUTERS PB PF