Homem se torna primeiro paciente do mundo a ter prótese ocular impressa em 3D

·1 min de leitura

LONDRES — Steve Verze, de 47 anos, se tornou o primeiro paciente no mundo a receber uma prótese ocular impressa em 3D. O procedimento foi realizado pelo Hospital Moorfields Eye, em Londres, Inglaterra, e divulgado nesta quinta-feira. Conforme a instituição, Verze, testou a prótese fabricada de forma totalmente digital pela primeira vez no início deste mês.

— Eu precisava de uma prótese desde os 20 anos. Sempre me senti constrangidopor causa disso. Quando saía de casa, muitas vezes dava uma segunda olhada no espelho e não gostava do que via. Este novo olho está fantástico e, por ser baseado na tecnologia de impressão digital 3D, só vai ficar melhor e melhor — Celebrou o paciente em comunicado.

Segundo o hospital, a impressão 3D permite que o olho seja mais realista. Ele foi projetado para ter "uma definição mais clara e profundidade real para a pupila", diferente das próteses comuns, que tem a íris pintada à mão em um disco embutido posteriormente na órbita do órgão. O objeto também evita que a luz chegue à "profundidade total" do olho.

O procedimento também é considerado menos invasivo já que o encaixe de próteses tradicionais requer a retirada de um molde da cavidade ocular, enquanto no novo modelo é possível escanear digitalmente o olho, criando uma imagem detalhada no computador.

A equipe médica acredita que a impressão 3D tem o potencial de reduxir o tempo médio de ua próteses ocular, de seis semanas para cerca de duas ou três.

— Esperamos que o próximo ensaio clínico nos forneça evidências robustas sobre o valor desta nova tecnologia, mostrando a diferença que ela faz para os pacientes — afirmou Mandeep Sagoo, chefe clínico do projeto e professor de oftalmologia e oncologia ocular na University College London.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos