Homem surta, fuma em banheiro de avião e precisa ser amarrado pela PF

Ele foi levado à Superintendência Regional da PF, na Praça Mauá, assim que desembarcou do avião. (Foto: REUTERS/Rafael Marchante)
Ele foi levado à Superintendência Regional da PF, na Praça Mauá, assim que desembarcou do avião. (Foto: REUTERS/Rafael Marchante)

Um homem precisou ser contido pela Polícia Federal (PF) na última segunda-feira (23) no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, após ter tido um "surto" durante o voo vindo da cidade do Porto, em Portugal. Segundo a PF, o passageiro precisou ser amarrado na viagem e foi preso no desembarque.

Durante o voo, segundo relataram os passageiros, o homem teria fumado cigarro no banheiro do avião. Repreendido pela tripulação, ele teria se alterado e xingado as pessoas, "iniciando uma confusão mais intensa", segundo a PF.

Segundo o jornal O Globo, o homem, que não teve a identidade revelada, não teria atendido às normas de segurança da aeronave já no embarque para o Brasil. Além disso, ele apresentava sinais de embriaguez e agitação.

Ele foi levado à Superintendência Regional da PF, na Praça Mauá, assim que desembarcou no aeroporto. Foi registrado Auto de Prisão em Flagrante.

Segundo o artigo 261 do Código Penal, é crime fumar durante o voo “por expor a aeronave ao perigo e atentar contra a segurança do transporte aéreo”. Aquele que for flagrado praticando tal conduta pode ser condenado à pena de dois a cinco anos de reclusão.

Laudo médico do passageiro

O homem foi conduzido para delegacia. Segundo o jornal O Globo, parentes foram até o local e apresentaram um laudo médico de esquizofrenia do passageiro, além de uma receita de medicamento controlado.

A PF informou ao jornal que uma audiência de custódia seria realizada ainda na terça-feira (25). O resultado, porém, ainda não foi divulgado.

Ainda segundo a PF, o homem responderia à acusação em liberdade ou seria transferido para um hospital penitenciário, visto que ficou comprovada, por laudos apresentados pela família, que o homem apresentava transtornos psiquiátricos e fazia uso regular de medicamento controlado.

A TAP, companhia aérea responsável pelo voo, explicou que as "tripulações são treinadas de forma a executar as ações necessárias e adequadas, sempre no cumprimento dos procedimentos, regulamentos e leis aplicáveis, para assegurar que todos os passageiros acatam as regras de conduta e de segurança a bordo". O caso específico, no entanto, não foi comentado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos