Homem tortura esposa por um mês antes de matá-la em MS

·2 min de leitura
Homem torturava esposa na frente dos filhos - Foto: Reprodução/Redes Sociais
Homem torturava esposa na frente dos filhos - Foto: Reprodução/Redes Sociais
  • Homem tortura a própria esposa em cárcere privado por um mês

  • Os ferimentos causados chocaram até os policiais

  • As agressões e a morte aconteceram na frente dos filhos do casal

Uma mulher foi morta pelo próprio marido na última quarta-feira (26) em Campo Grande-MS, após cerca de um mês mantida em cárcere privado e torturada pelo criminoso.

Francielle Guimarães Alcântara, de 36 anos, foi encontrada dentro da própria casa com sinais de estrangulamento, perfurações nas costas, dentes quebrados, cabelos cortados e diversas lesões pelo corpo.

A investigação concluiu que o responsável pelo crime é Adailton Freixeira da Silva, de 46 anos, marido de Francielle. Ele teria trancado-a em casa na virada do ano, após suspeitar que a mulher estivesse mantendo um caso extraconjugal.

As lesões causadas por Adailton surpreenderam até os policiais envolvidos no caso. Além das agressões, os indícios são de que o criminoso feria Francielle com choques elétricos.

"Em mais de 10 anos de polícia, nunca vi um caso tão forte como este", disse o delegado Camilo Kettenhuber. “Apreendemos um pedaço de madeira supostamente utilizado na prática das agressões e também um pedaço que pode ter sido utilizado para estrangulá-la, o que causou sua morte."

Segundo Camilo, foram encontradas roupas manchadas de sangue e bandagens utilizadas por Francielle, por conta da gravidade de seus ferimentos.

A investigação concluiu que a mulher era torturada na frente dos filhos, a mais velha de 17 anos e o mais novo de 1 ano e 8 meses. Adailton fugiu após a morte da esposa e continua foragido.

Desabafo da filha

Nas redes sociais, a filha mais velha de Francielle relatou que a mulher “não se sentia bem” ao lado de Adailton e teria, inclusive, pedido a separação. Ela também prometeu “fazer justiça” pela mãe.

“Ninguém merece passar por isso, minha mãe era tão guerreira, tão amável, me ensinou tanta coisa boa. Só queria que tudo isso fosse mentira, que me ligassem e falassem que minha mãezinha tá bem", escreveu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos