Homem usa martelo para reagir a roubo em SP, leva tiro e morre

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um homem de 55 anos levou um tiro no pescoço após tentar usar um martelo para reagir a um roubo na Mooca, na zona leste de São Paulo, na manhã desta segunda-feira (9). Ele chegou a ser levado ao hospital, as não resistiu aos ferimentos e morreu.

Nenhum suspeito foi preso até o momento.

O crime foi registrado por uma câmera de monitoramento. As imagens mostram o momento que dois homens abordam Josenaldo Balarmino da Silva em seu carro na rua Etiópia --um dos criminosos, com moletom branco, aponta uma arma para a vítima.

Apesar disso, Silva empurra o outro homem, que usa um casaco azul e chega a abrir o porta-malas do veículo. Segundo registros do registros do 18º DP (Alto da Mooca), foi nesse momento que ele pegou um martelo. Logo que isso acontece, porém, o homem de branco atira. Os dois criminosos então saem correndo, aparentemente sem levar nada, enquanto a vítima fica caída no chão.

O homem baleado chegou a ser atendido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), sendo levado ao hospital da Vila Alpina, onde morreu.

Ainda na manhã desta segunda-feira, um aluno da Escola Estadual Professor Astrogildo Arruda, também na zona leste, foi ferido com um tiro na perna após reagir a um roubo em frente ao colégio.

Segundo registros de uma câmera de monitoramento, o rapaz estava sentado na calçada quando dois criminosos em uma moto o abordam. Ele então tentou chutar o homem, que respondeu atirando em sua perna.

O caso está sendo investigado pela 7ª Delegacia Seccional. A Secretaria de Estado da Educação disse lamentar o caso e informou que o estudante foi socorrido por uma ambulância do Samu e que seus pais foram avisados.

A unidade de ensino disse que solicitou reforço de policiamento na região.

O primeiro trimestre de 2022 registrou um aumento no número de furtos e roubos no estado de São Paulo, na comparação com o mesmo período de 2021. Com isso, o patamar dos dois crimes se aproxima do registrado antes do início da pandemia de Covid-19.

Segundo os dados oficiais mais recentes divulgados pela SSP , São Paulo registrou 132.782 furtos no primeiro trimestre do ano.

Isso representa uma alta de 28,5% em relação aos primeiros três meses de 2021 e de 7% na comparação com 2020 --a pandemia começou em março daquele ano. Na relação com o mesmo período em 2019, antes do início da crise sanitária, houve uma diminuição de 2,7%.

Como a circulação de pessoas diminuiu durante a pandemia, os números de furtos e roubos também caiu. Agora, com a retomada das atividades, eles estão sofrendo uma forte alta.

Os latrocínios --roubos seguidos de morte-- se mantiveram estáveis. Foram 44 no primeiro trimestre do ano passado e 43 no mesmo período deste ano. Em 2020, foram 58, e, em 2019, 38.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos