Milhares de pessoas protestam no Iêmen após 2 anos de intervenção saudita

Sana, 26 mar (EFE).- Milhares de pessoas leais aos rebeldes houthis e ao ex-presidente do Iêmen Ali Abdullah Saleh foram às ruas de Sana neste domingo, dia em que a intervenção militar da coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita completa dois anos.

Os manifestantes se reuniram na praça Al Sabain, no sul da capital, controlada pelos rebeldes desde setembro de 2014, e exigiam que os sauditas suspendessem o bloqueio do Iêmen.

O ex-presidente do Iêmen surpreendeu os manifestantes e participou do protesto, onde foi recebido com festa.

O presidente do Conselho Político Supremo, órgão executivo estabelecido pelos houthis para comandar o país, Saleh al Samad, pediu aos manifestantes que as tribos nos arredores de Sana lutem contra as forças do presidente deposto, Abdo Rabbo Mansour Hadi.

"As tribos do Iêmen apresentaram homens e pedimos a elas que ofereçam mais", disse Al Samad em discurso no qual destacou que o povo iemenita segue resistindo aos ataques da coalizão.

O início da ofensiva da aliança liderada pela Arábia Saudita completa dois anos hoje. Riad apoia Hadi contra os rebeldes houthis, que são respaldados pelo Irã.

Segundo boletim divulgado pela ONU na última sexta-feira, 4.733 civis morreram e outros 8.272 ficaram feridos nos últimos dois anos no Iêmen. EFE