Homem vítima de ataque mantinha casamento para acobertar relação incestuosa com a filha

·2 minuto de leitura
Maria Aparecida mandou matar o namorado - Foto: TV Verdes Mares/Reprodução
Maria Aparecida mandou matar o namorado - Foto: TV Verdes Mares/Reprodução
  • Maria Aparecida mandou matar o próprio namorado, Jaelson, que sobreviveu ao ataque

  • O rapaz mantinha o namoro apenas para acobertar sua relação incestuosa com a filha

  • O incesto foi descoberto pelo namorado da filha, que contou para Maria Aparecida

A Polícia de Canindé, no interior do Ceará, concluiu que o rapaz vítima de uma tentativa de homicídio a mando da própria namorada mantinha um relacionamento com ela apenas para acobertar uma relação incestuosa com a própria filha.

O caso veio à tona na última terça-feira, um dia depois de Maria Aparecida Barroso, de 36 anos, ser presa por ordenar o assassinato de seu namorado, Jaelson Oliveira, de 39.

Leia também:

O crime, porém, aconteceu no dia 29 de junho. Dois homens contratados por Maria Aparecida, com intermédio do genro de Jaelson, atiraram no rapaz. A filha dele também acabou atingida na ação.

Jaelson chegou a ficar na UTI e segue hospitalizado. Já sua filha perdeu a visão de um dos olhos e está em casa.

Polícia prendeu dois suspeitos de atirarem nas vítimas - Foto: TV Verdes Mares/Reprodução
Polícia prendeu dois suspeitos de atirarem nas vítimas - Foto: TV Verdes Mares/Reprodução

Genro de Jaelson, Antônio Herilson da Silva Lopes, de 26 anos, também foi detido e é investigado por auxiliar Maria Aparecida no crime.

O rapaz chegou a participar de uma relação sexual com a namorada e o sogro, mas garantiu à polícia que não sabia que Jaelson era o terceiro envolvido no ato.

“A relação a três foi apenas em um episódio. Ela (filha) que convidou o Herilson para fazer uma relação a três. O Herilson afirma que não sabia que o segundo homem seria o pai dela. Ele foi, disse que o quarto estava escuro. Depois da relação ter acontecido, quando saíram do quarto, ele viu que era o pai. Foi aí que ele se revoltou, foi até a Aparecida e contou todos os fatos", relatou o delegado responsável pelo caso, Daniel Aragão.

Maria Aparecida revoltou-se com a descoberta e ordenou o assassinato de Jaelson. Ela garantiu que tentou se separar do rapaz em algumas oportunidades, mas foi ameaçada por ele.

Depoimento de Jaelson

Ainda internado, Jaelson prestou depoimento na última quinta-feira à polícia. Ele confirmou que relacionava-se com a filha há um ano e oito meses e afirmou que tratava-se de “uma paixão mútua”.

"Ele não era reconhecido como pai até os 10 anos dela. Ele fez o DNA, confirmou a paternidade. Com 12 anos, ela foi morar com ele. Por volta dos 18, foi quando começou esse relacionamento amoroso. Nós tentamos fazer toda a investigação para saber se realmente ele poderia ter entrado nesse crime de estupro de vulnerável, mas não se confirmou, pelo menos com o que foi dito por eles", informou Aragão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos