'Homens armados incitaram a população a levar alimentos e bebidas', diz gerente de supermercado saqueado no Rio

·3 min de leitura

Três viaturas da PM estão paradas na frente do Supermercado Inter, em Inhaúma, na Zona Norte do Rio, na manhã do domingo de Páscoa, horas depois de um bando de 200 pessoas saquearem o local. Segundo o gerente logístico do estabelecimento, “homens armados entraram no mercado pouco depois das 20h e incitaram a população a levar alimentos e bebidas”. A direção da unidade fará um inventário do que foi levado e registrará um boletim de ocorrência da 44ª DP (Inhaúma) que fica a menos de um quilômetro de onde ocorreu o crime.

— Eram cerca de 200 pessoas. Algumas delas, aparentemente, estavam armadas. Para não haver dano a integridade dos nossos funcionários, o gerente deixou eles levaram os produtos. Eles levaram carne, cerveja e alimentos em geral — contou ao GLOBO, Júlio Souza, gerente de logística da loja.

Segundo Souza, os funcionários estão contabilizando o que foi levado pelos criminosos.

— Não fizemos o inventário ainda. Nossa preocupação maior foi arrumar a loja e deixar pronto para atender os clientes neste domingo de Páscoa. Mantivemos o compromisso de atender o público. Fizemos uma mudança durante a madrugada para não desabastarcer a população — ressaltou.

Cerca de 50 funcionários trabalham na unidade, que funciona em Inhaúma há cerca de 20 anos. O diretor logístico conta que “nunca houve algo assim”. Neste domingo, funcionários trabalham para arrumar as gôndolas que foram destruídas.

“Com a correria, pensei que fosse um maluco atirando em alguém”, conta moradora

A auxiliar de serviços gerais R*, de 59 anos, mora há cerca de dois anos perto do mercado. Ela conta que estava na janela de casa, pouco depois das 20h30, quando viu uma correria com muita gente. Ela, no entanto, não imaginava que o supermercado havia sido saqueado. A mulher pensava que havia acontecido algum tiroteiro.

— Não sabia que estava sendo saqueado. Da janela de casa, eu vi o pessoal correndo e pensei que fosse um maluco que estava atacando ou atirando aqui. Esse saque foi por volta de 20h30. Só agora de manhã que soube o que aconteceu — contou a auxiliar de serviços gerais , que na manhã deste domingo esteve na unidade para comprar ingredientes para o almoço de Páscoa.

Muito clientes não imaginavam que a loja estaria funcionando nesta manhã. Mas, com medo eles preferem não se identificar. De acordo com o aposentado Natanael, ele achava que “a loja ficaria fechada por muitos dias”. Entretanto, foi surpreendido com a abertura.

— Pensei que estaria fechado. Graças a Deus ninguém se feriu , né? — diz o aposentado de 77 anos.

— Foi uma cena de violência e destruição. Nosso maior tesouro são os funcionários. As pessoas ficaram chocadas com o que aconteceram. As perdas foram emocionais e financeiras, mas isso a gente recupera. A gente conseguiu abriu normalmente hoje, mesmo com esse percalço. A força do amor tem que superar a violência. O nosso povo é de gente boa. Eu fiquei triste . Mas, vamos vencer — contou Rosa Cunha, diretora comercial e de operações do Inter Supermercado.

Em nota, a assessoria de imprensa da Polícia Militar disse que “na noite deste sábado (16), equipes do 3° BPM (Méier) foram acionadas para checar uma série de saques a um supermercado na Estrada Adhemar Bebiano, em Inhaúma”. De acordo com a instalação, “com a chegada dos policiais, diversas pessoas fugiram do local. Não houve presos”. Por fim, o comunicado diz que “equipes das Rondas Especiais e Controle de Multidões (Recom) auxiliaram no perímetro. Os responsáveis pelo estabelecimento ficaram de relatar os fatos em registro policial na delegacia posteriormente”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos