Homens invadem estúdio e ameaçam agredir radialista por críticas a Bolsonaro

·2 minuto de leitura
Radialista foi ameaçado por seguidores de Bolsonaro em Pernambuco - Foto: Reprodução/YouTube
Radialista foi ameaçado por seguidores de Bolsonaro em Pernambuco - Foto: Reprodução/YouTube
  • Apoiadores do presidente questionaram o posicionamento de Júnior Albuquerque

  • Radialista havia criticado a condução da crise da Covid-19 por Bolsonaro

  • Após o episódio, ele registrou queixa à Polícia Civil

Uma rádio na cidade de Santa Cruz do Capibaribe, em Pernambuco, foi invadida na última terça-feira por apoiadores de Jair Bolsonaro (sem partido). Eles ameaçaram agredir um radialista por críticas à condução da crise da Covid-19 pelo presidente.

Já era noite quando o radialista Júnior Albuquerque foi surpreendido com a entrada de quatro homens na Rádio Comunidade. “Não é tudo genocida? Fala agora”, disse um dos apoiadores do presidente, revoltado com a opinião do profissional.

Leia também

Entre provocações, tapas na mesa e amaças, o homem precisou ser contido pelos colegas de Júnior Albuquerque. O próprio radialista explicou o motivo da revolta.

Há algumas semanas, entrou em pauta as quase 300 mil mortes por Covid-19 no Brasil e eu fiz um comentário opinativo, onde expus que no meu ponto de vista Hitler não era o único culpado do genocídio que aconteceu na Alemanha, pois quem apoiou e quem se calou também teve sua parcela de culpa. Assim como no Brasil, em relação à Covid-19, os eleitores de Bolsonaro que concordam com a política sanitária que ele vinha fazendo, também teriam culpa”, declarou ao portal JC.

Radialista criticou medidas do governo Bolsonaro na pandemia (AP Photo/Eraldo Peres)
Radialista criticou medidas do governo Bolsonaro na pandemia (AP Photo/Eraldo Peres)

Júnior relatou que o comentário gerou diversas ameaças pelas redes sociais e que chegou a propor no programa uma conversa com algum apoiador do presidente. O grupo responsável pela invasão, no entanto, em momento algum mostrou-se disposto a um diálogo amistoso.

Eu disse que queria que esse pessoal fosse até a rádio para gente debater, para me explicar o motivo de tanta raiva e também me mostrar o que foi que o presidente deles fez de bom. Quando foi ontem, eles invadiram o estúdio da rádio e me ameaçaram”, comentou.

Radialista presta queixa

Após o programa, Júnior registrou queixa na Polícia Civil da cidade. A Associação de Empresas de Rádio e Televisão de Pernambuco (Asserpe) saiu em defesa do radialista.

A Asserpe defende de forma intransigente a liberdade de imprensa conquistada pelos veículos de comunicação e condena todo ataque a esse direito fundamental”, afirmou em nota.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos