Homens são detidos por falsificar cidadania italiana de jogadores brasileiros

Roma, 7 abr (EFE).- A polícia italiana deteve nesta sexta-feira duas pessoas acusadas de facilitar supostamente cidadania italiana a cerca de 300 brasileiros, entre eles vários jogadores de futebol.

Entre os jogadores de futebol envolvidos neste caso que atuam em times da Série A de campeonatos europeus estão Bruno Henrique, do Palermo, e Gabriel Boschilia, do Mônaco, informaram os veículos de imprensa italianos.

Também são apontados os nomes de jogadores que atuam no Campeonato Brasileiro, na série B do futebol português e atletas do futsal.

A polícia de Castello di Cisterna, na província de Nápoles, deteve estes dois indivíduos acusados de corrupção, falsificação material e ideológica e favorecimento de imigração clandestina.

Os detidos são o responsável por um departamento do estado civil de Brusciano (Nápoles) e o titular de uma agência de práticas administrativas de Terni, que mediante prévio pagamento dos cidadãos brasileiros, falsificavam seu "ius sanguinis".

Graças ao "ius sanguinis" ou direito de sangue, uma pessoa pode adquirir uma nacionalidade graças à ascendência, mas os detidos não seguiam os requisitos previstos pela lei. EFE

jcg/ff