Homofobia em MG: Vítima é dopada, agredida e tem suástica desenhada no rosto

·1 minuto de leitura

RIO — Um homem foi atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) na noite desta terça-feira, dia 13, em Itaguara, na região metropolitana de Belo Horizonte, após ter sido dopado e agredido por um grupo que já o havia ofendido anteriormente, chamando-o de "porco gay". Por isso, a vítima acredita ter sido alvo de homofobia.

Segundo a Polícia Militar de Minas Gerais, consta no registro de ocorrência que o crime teria sido praticado por quatro indivíduos brancos e de olhos claros. A vítima relatou que foi atacada enquanto voltava para sua residência por volta das 19h30.

Embora já tivesse sido alvo de ofensas verbais por aquele mesmo grupo, o homem disse que da primeira vez não foi até uma delegacia registrar o caso. Desta vez, contudo, ele contou que os agressores usaram uma seringa com algum líquido para dopá-lo.

Quando acordou, disse aos policiais que sentia muita dor nas costas e viu manchas de sangue no chão. Além disso, havia uma ameaça de morte escrita no tórax, além de uma suástica nazista desenhada no rosto. Ainda segundo a vítima, cada um dos quatro autores do ataque tinha uma suástica tatuada no pescoço.

O caso foi registrado na 9ª DP de Itaguara. De acordo com a PM, a vítima foi conduzida à Santa Casa de Misericórdia da cidade, onde levou 20 pontos devido aos ferimentos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos