Homologada a partilha dos bens de Gustavo Bebianno, ex-advogado e ex-ministro de Bolsonaro

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A Justiça do Rio de Janeiro homologou, dias atrás, a partilha dos bens em nome de Gustavo Bebianno, advogado que representou Jair Bolsonaro antes de sua eleição e que foi ministro no atual governo até ser exonerado, ainda em 2019.

Como se sabe, Bebianno morreu em março de 2020, em Teresópolis, aos 56 anos, após passar mal. A Justiça calculou seus bens em quase R$ 1 milhão, sendo R$ 998 mil depositados em conta corrente, e três armas da marca Tauros, avaliadas em R$ 1,5 mil, somadas.

Retiradas as dívidas, a ex-companheira de Bebianno tem direito a receber R$ 400.542,53, incluindo as armas. Já seus dois filhos tem, cada um, R$ 201.521,27 a receber. O ex-ministro não tinha bens imóveis, segundo informou a partilha.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos