Honduras agradece a rainha da Espanha por ajuda humanitária após furacões

·1 minuto de leitura
Rainha Letizia da Espanha cumprimenta o presidente de Honduras, Juan Orlando Hernández, e sua esposa Ana García de Hernández, durante a entrega de ajuda humanitária na cidade de La Lima, Vale do Sula, em 15 de dezembro de 2020, em foto divulgada pela assessoria de imprensa da Presidência de Honduras

O presidente de Honduras, Juan Orlando Hernández, agradeceu nesta terça-feira (15) à rainha Letizia, da Espanha, que estava em seu segundo e último dia de visita oficial, pela ajuda humanitária oferecida após dois furacões assolarem o país em novembro.

"Sua majestade, a rainha Letizia, e a mídia internacional estão nos ajudando a dar visibilidade à tragédia vivida por Honduras com a questão da pandemia e os dois fenômenos naturais", disse o presidente, após seu encontro com a soberana.

Durante a visita, a Espanha anunciou que disponibilizaria para Honduras um fundo de 70 milhões de euros para as obras de reabilitação e reconstrução do país, "a uma taxa de concessão muito baixa e a longo prazo", explicou o ministro das Finanças, Marco Midence.

O presidente Hernández afirmou que pediu ao governo da Espanha que conduza "o grupo de doadores na União Europeia", tomando como exemplo o apoio que receberam depois do furacão Mitch, em 1998. Segundo ele, a pandemia custou cerca de sete pontos percentuais ao PIB do país e os furacões devem substrair outros quatro.

O presidente e a mulher, Ana García, reuniram-se com a monarca no município de La Lima, distrito de Cortés, no Vale do Sula, uma área gravemente afetada pela passagem dos ciclones Eta e Iota. Letizia entregou 120 toneladas de doações compostas por kits de alimentação para 15 dias, kits de higiene pessoal para 30 dias, kits para bebês, berços dobráveis, cobertores, mosquiteiros, tendas e 24 mil testes rápidos para detecção da covid-19, informou o governo, durante a primeira viagem ao exterior feita pela rainha desde o início da pandemia.

mav/lda/ic/lb