Hospital das Clínicas inicia estudo da Coronavac com imunossuprimidos

MÔNICA BERGAMO
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Hospital das Clínicas de São Paulo iniciou um estudo da aplicação da Coronavac, vacina contra a Covid-19, em pacientes imunossuprimidos, ou seja, pessoas que têm redução na eficiência do sistema de defesa de infecções. Para realização do estudo, foram vacinadas mais de 2 mil pessoas —1.525 pacientes do HC com doenças autoimunes reumatológicas ou pessoas portadoras de HIV/AIDS e 542 voluntários sem esses tipos de patologias que farão parte do grupo controle. Todos receberão duas doses da vacina com o objetivo de avaliar a produção de anticorpos contra o vírus no grupo de imunossuprimidos, um dos mais vulneráveis a complicações do novo coronavírus. A Coronavac, desenvolvida pela chinesa Sinovac, será fabricada, no Brasil, pelo Instiuto Butantan. Para a realização da pesquisa, o instituto paulista forneceu lotes da vacina específicos para utilização em pesquisa científica e que, portanto, não podem ser disponibilizados à população em campanhas de vacinação. ​