Hospital Federal de Bonsucesso volta a funcionar integralmente em 60 dias, diz diretor

Rafael Nascimento de Souza
·2 minuto de leitura
Foto: ROBERTO MOREYRA / Agência O Globo
Foto: ROBERTO MOREYRA / Agência O Globo

O diretor do Hospital Geral de Bonsucesso, Edson Joaquim Santana, garantiu na tarde desta terça-feira, durante uma reunião com a deputada federal Jandira Feghali (PC do B), o corpo clínico do HFB e representantes dos servidores, o retorno do funcionamento do prédio 1 em até 60 dias. Santana tamém afirmou que mil funcionários concursados e terceirizados que atuam nos setores paralisados serão emprestados para outras unidades federais, mas que retornarão para a unidade de origem ao fim da reforma.

— Ele afirmou que a perícia da parte elétrica ficará pronta e em até 15 dias o edifício será liberado para ser usado — afirmou Jandira Feghali ao EXTRA.

Atualmente, os prédios 1 e 2 estão fechados. O primeiro por ter sido o foco do incêndio, iniciado no almoxarifado, no subsolo do prédio. O segundo, por ter uma ligaçao direta com o mais atingido, e, portanto, ter sido seriamente afetado pela fumaça. Este encontra-se fechado por determinação da Defesa Civil.

Nesta terça, parte do complexo hospitalar voltou a funcionar. Quem precisou do ambulatório - que funciona nos prédios 3 e 4 - recebeu atendimento.

O EXTRA apurou que, devido ao comprometimento de parte da estrutura do prédio 1, antes de dezembro é impossível que o espaço seja reaberto. Os peritos da Polícia Federal, da Defesa Civil e engenheiros contratados pelo HFB analisam se a estrutura do local foi afetada.

No prédio 1, onde o fogo começou, ficavam as salas onde estavam os equipamentos de raios-x e de tomografia. Todos os aparelhos foram consumidos pelas chamas.

A partir desta quarta-feira, para não comprometer os exames, a direção da unidade prometeu aos funcionários a contratação de um caminhão móvel para realizar diagnósticos de ultrassom e raio-x. Tomografia e ressonância magnética não serão feitos no local.

Ainda durante o encontro com a deputada federal Jandira Feghali, o corpo clínico do HFB e representantes dos servidores da unidade de saúde, Edson Joaquim, afirmou que os mil profissionais do prédio 1 serão realocados em hospitais da rede, como o da Lagoa e dos Servidores, até a reabertura do edifício. O diretor da unidade de saúde garante que os profissionais voltarão após as obras.

A direção do HFB afirmou que profissionais com comorbidade e com mais de 60 anos farão seus trabalhos remotamente. Além disso, todos os servidores que tiverem condições de transferência, serão chamados ao RH do Hospital Federal de Bonsucesso para consentir com a realocação provisória. O salário desses mil servidores sairá do orçamento do HFB.

Ainda segundo Santana, os 963 profissionais terceirizados da RioSaúde, que entraram em junho, foram devolvidos.

— O diretor prometeu que esse número (de funcionários) voltará após a reforma. Mas, não prometeu se serão os mesmos. Eu questionei a ele se esses profissionais têm algum tipo de expertise nas suas áreas de atuação, porque é preocupante. Mas, ele não soube afirmar — relatou Jandira.