#Verificamos: Hospital de campanha em SP é da prefeitura e não tem mil vagas de trabalho disponíveis

Hospital no Pacaembu é da prefeitura e não tem mil vagas de trabalho disponíveis - Foto: Reprodução

por MAURÍCIO MORAES

Circula pelo WhatsApp uma mensagem sobre a construção de um hospital de campanha no estádio do Pacaembu, em São Paulo. A estrutura será usada no atendimento de pacientes com suspeita de infecção pelo novo coronavírus. De acordo com o texto, o responsável pela obra é o Hospital Israelita Albert Einstein, que inclusive faria a contratação de mil pessoas para trabalhar no local. Essa sugestão foi encaminhada por um leitor da Lupa pelo formulário LupaAqui, no qual é possível indicar conteúdos para verificação. Confira o resultado:

Hospital no Pacaembu é da prefeitura e não tem mil vagas de trabalho disponíveis - Foto: Reprodução

“Pessoal, o Einstein assumiu a construção do ‘hospital’ no Pacaembu (…)”

Texto em mensagem do WhatsApp encaminhada por um leitor da Lupa pelo formulário LupaAqui

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O hospital de campanha no estádio do Pacaembu está sendo construído pela Prefeitura de São Paulo. O Hospital Albert Einstein será responsável apenas pela administração deste local. A estrutura terá capacidade para 200 leitos e deve ficar pronta até o final do mês, segundo o prefeito Bruno Covas (PSDB). O município também está fazendo uma outra unidade emergencial, no Anhembi, com 1,8 mil leitos e estima gastar R$ 35 milhões com os dois hospitais emergenciais.

“(…) uma amiga está encarregada de várias contratações. Ela acabou de mandar msg dizendo que tem 1000 vagas para preencher em 2 semanas e pediu ajuda para divulgar.”

Texto em mensagem do WhatsApp encaminhada por um leitor da Lupa pelo formulário LupaAqui

EXAGERADO

A assessoria de imprensa do Hospital Albert Einstein informou, em nota, que a instituição vai contratar 509 pessoas para trabalhar na estrutura emergencial montada no estádio. Ou seja, pouco mais da metade do número divulgado na mensagem que circula no WhatsApp.

Por conta da pandemia, o Einstein vai contratar temporariamente outros 917 profissionais de saúde, que vão atuar em outras unidades da rede e de parcerias públicas com a prefeitura. Serão chamadas, no total, 1.426 pessoas. Os links no post são verdadeiros, mas encaminham para um processo seletivo que, até esta segunda-feira (23), tinha 18 cargos com vagas abertas para várias unidades do Einstein