Hospitalizações por Covid-19 nos EUA disparam com festas de final de ano no horizonte

Por Maria Caspani e Gabriella Borter
·2 minuto de leitura

Por Maria Caspani e Gabriella Borter

NOVA YORK (Reuters) - O número de pacientes hospitalizados com a Covid-19 nos Estados Unidos saltou quase 50% nas últimas duas semanas, forçando alguns Estados a estabelecerem novas restrições para conter a propagação do vírus enquanto os norte-americanos se aproximam de um inverno e final de ano sombrios.

Quase 79 mil pessoas estão sendo tratadas para a doença em hospitais por todo o país nesta quinta-feira, como mostrou uma contagem da Reuters, o maior número de toda a pandemia até agora. O país registrou 161.607 novos casos diários na média semanal variável contabilizada na quarta-feira.

A aceleração forçou uma nova série de fechamentos de escolas e empresas para desacelerar a contaminação comunitária, freando as vidas dos cidadãos norte-americanos mais uma vez.

Suzanna Riordan, uma mãe residente no bairro do Brooklyn, em Nova York, disse que começou a chorar assim que ouviu o anúncio de que as salas de aula do sistema público de ensino da cidade seriam fechadas a partir de quinta-feira após a taxa de positividade de testes superar o patamar previamente estabelecido de 3%.

A filha de Riordan, Olivia, de 7 anos, estava empolgada com a possibilidade de acrescentar um dia a mais de educação presencial por semana a partir da semana que vem, como parte do plano híbrido de educação da cidade, disse Riordan.

"Desde setembro ela passou cerca de sete dias na escola", disse Riordan. "E esses são os dias quando ela vem para casa empolgada e feliz de ver outras crianças de sua idade. E agora isso acabou de novo."

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, defendeu sua decisão de voltar com o ensino à distância, acrescentando que mais medidas e requerimentos de segurança para reabrir o maior distrito escolar dos Estados Unidos seriam anunciadas antes do feriado de Ação de Graças.