Hotéis do Rio já têm 45% de reservas para o réveillon de 2021

Gustavo Goulart e Selma Schmidt
·1 minuto de leitura
Márcio Alves / Agência O Globo
Márcio Alves / Agência O Globo

RIO — O Rio se prepara para um réveillon diferente, mais adequado a uma época de pandemia, onde as aglomerações são desaconselhadas. Mas isso não quer dizer que cariocas e visitantes não vão celebrar a chegada de 2021 com festa — menorzinha, é claro. Os hotéis, que se preparam para oferecer comemorações mais intimistas, já estão com 45% de ocupação para a noite da virada, de acordo com o Sindicato dos Meios de Hospedagem do Rio (Hotéis Rio). A taxa, como antecipou Ancelmo Góis ontem em sua coluna no GLOBO, é abaixo da registrada no mesmo período do ano passado (73%). Mas, diante do cenário enfrentado ao longo do ano, quando dezenas de estabelecimentos chegaram a fechar as portas por causa da Covid-19,o presidente da entidade, Alfredo Lopes, está otimista Ele acredita que a tendência é de melhora, mas evita cantar vitória antes do tempo, devido às incertezas sobre o avanço do novo coronavírus.

— Vamos cumprir os protocolos sanitários estabelecidos pela prefeitura para garantir a segurança dos hotéis. Se tudo caminhar bem, podemos chegar ao réveillon com 75% de ocupação (ano passado foram mais de 90%). E muita gente viajará de carro, o que controla a transmissão do vírus — diz Lopes.

Pandemia:Ocupação é de 94% nos leitos de UTI da rede municipal do Rio; estado registra 72 mortes e 623 novos casosCaso haja uma segunda onda da doença, Lopes diz que é preciso negociar com os hotéis se, por exemplo, for decretado um lockdown no Rio ou forem adotadas regras mais rígidas de distanciamento social:

— Se houver um novo lockdown, na impossibilidade de hospedagem, o hóspede deverá negociar diretamente com o hotel onde realizou sua reserva para adiar sua viagem ou eventualmente negociar um possível reembolso.