Hotel du Palais de Biarritz é reformado para o G7

Por Benoît PETIT
Turistas se banham com o Hotel du Palais de Biarritz ao fundo

Para acolher os líderes mundiais, o Hotel du Palais, uma das joias da cidade francesa de Biarritz, onde será realizada a reunião de cúpula do G7, passou por uma reforma que custou 60 milhões de euros (66 milhões de dólares).

O único hotel de luxo na costa oeste da França, em forma de E, está localizado na grande praia da cidade, de frente para o oceano, bem no centro.

O estabelecimento que abrigou reis, aristocratas e personalidades de todo o mundo, incluindo estrelas de Hollywood, foi administrado durante anos pela prefeitura de Biarritz, mas agora pertence ao grupo hoteleiro Hyatt.

A empresa recebeu a gestão do hotel de um consórcio chamado Socomix, no qual o conselho da cidade tinha uma participação de 55%.

"A Socomix financiou os 60 milhões de euros da restauração ", diz Alain Puyau, historiador e conselheiro municipal em Biarritz há mais de dez anos.

Segundo o Hyatt, o hotel oferece 92 quartos e 50 suítes e apartamentos, todos em estilo Napoleão III ou com "móveis exclusivos, pinturas raras e tapeçarias refinadas" que lhes dão um ar "atemporal e cheio de história".

O grupo hoteleiro, que acaba de nomear o ex-gerente do Martinez, um conhecido hotel de luxo em Cannes, como diretor do estabelecimento de Biarritz, renovou 46 quartos antes do início do G7.

Há 60 anos que nenhuma grande obra era realizada no local.

O prédio, que durante seis meses esteve coberto por lonas e andaimes, abriu parcialmente suas portas em julho.

Algumas semanas após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a chanceler alemã Angela Merkel e os outros líderes mundiais terem passado por seus quartos, o Hotel du Palais fechará novamente para concluir sua reforma e finalmente reabrir em meados de 2020.