Humorista conhecido por imitar Dilma é pré-candidato à Câmara dos Deputados pelo PT: 'momento de seriedade'

O ator e humorista Gustavo Mendes, 33, é a aposta do Partido dos Trabalhadores (PT) para a Câmara dos Deputados. Conhecido por imitar a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), Mendes lança sua pré-candidatura nesta quarta-feira em Juiz de Fora (MG) ao lado de Luiz Inácio Lula da Silva. Em entrevista ao Extra, ele conta que recebeu o pedido do ex-presidente.

- Sempre me sondaram para a política porque meu conteúdo remete aos cenários do país, mas eu nunca me senti preparado. Com a pandemia, vi a necessidade de atender ao chamado. A ligação direta de Lula foi um convite irrecusável - relata Mendes.

Criado em Guarani, a 276km de Belo Horizonte, o humorista conta que desde pequeno se interessava por política. Com a avó, ele frequentava comícios e achava empolgante a possibilidade de dar esperança em uma candidatura. Na carreira artística, a personagem Dilma fez com que estudasse profundamente o cenário do país.

- Era um período conturbado e eu precisava explicar o que estava acontecendo de maneira simples. Acabei me apaixonando não só pelo exercício da política, mas o ato de propor em si - relembra.

Para Gustavo Mendes, os dois ofícios - político e humorista - tem semelhanças: precisam estar atentos ao povo para propor soluções ou fazer rir. Com a pré-candidatura, ele pretende seguir com a carreira artística sem misturar os dois campos.

- O humor está em mim, mas a campanha é um momento de seriedade e trabalho. Política e humor se misturam desde os tempos dos bobos da corte que tinham a cabeça decepada por falarem verdades aos reis. Eu estou à disposição, não tenho medo de me comprometer pelo o que eu acredito, mas não vou deixar de ser comediante. Deputado não é profissão - afirma.

Em relação as pautas que pretendem carregar, as minorias fazem parte da agenda do pré-candidato, mas ele considera a economia criativa a sua principal bandeira.

- Sou um homem gay e é claro que a agenda LGBTQIA+ estará comigo no congresso, mas a minha principal bandeira é a economia criativa. Sai de casa cedo para viver meu sonho, quero que jovens periféricos possam ter a oportunidade de escolher a arte como ganha pão - pondera.

Gustavo Mendes acredita que toma a decisão em um momento oportuno e relembra um conselho que recebeu de Ciro Gomes, pré-candidato à Presidência pelo PDT e opositor de Lula.

- Não quero que me vejam como um voto de protesto, eu venho me preparando para isso e encaro a política como um propósito de vida. Uma vez Ciro me disse para apenas ingressar quando não precisasse do dinheiro. O Bolsonaro vai perder, mas o bolsonarismo não vai deixar de existir. Precisamos de um congresso forte - finaliza.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos