Hungria aprova lei contra 'promoção' da homossexualidade entre menores

·1 minuto de leitura
Manifestante leva cartaz com o premiê húngaro, em um protesto em Budapeste, em 14 de junho de 2021

A Hungria aprovou, nesta terça-feira (15), uma lei que proíbe a "promoção" da homossexualidade entre menores.

A medida gerou preocupação entre as associações de defesa dos direitos humanos, críticas aos ataques primeiro-ministro conservador Viktor Orban à comunidade LGBT.

A lei foi aprovada por 157 votos a favor e um contra no Parlamento controlado pelo partido de direita de Orban, o Fidesz. A votação foi boicotada por grande parte da oposição.

"A pornografia e os conteúdos que representem a sexualidade, ou promovam o desvio de identidade de gênero, a mudança de sexo, ou a homossexualidade, não devem ser acessíveis a menores de 18 anos", diz o texto consultado pela AFP.

Na prática, isso significará a proibição de programas educacionais, ou propagandas solidárias com minorias sexuais, ou de gênero, como uma da Coca-Cola, em 2019, com um casal de homens. A peça publicitária gerou pedidos de boicote no país.

ONGs de defesa dos direitos humanos temem que isso implique a proibição de livros, de séries, como "Friends", e de filmes como "Briget Jones", "Harry Potter", ou "Billy Elliot", onde se evoca a homossexualidade.

Milhares de pessoas protestaram na noite de segunda-feira (14) nas ruas de Budapeste para denunciar esta "propaganda permanente" do governo contra a comunidade LGBT.

pmu-anb/bg/dbh/bl/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos