Hungria: combustíveis mais caros para veículos estrangeiros

O governo húngaro anunciou o aumento do preço dos combustíveis para veículos estrangeiros, com efeito a partir desta sexta-feira.

Os motoristas que cruzam a fronteira para a Hungria para obter combustível mais barato terão, daqui em diante, de pagar um preço significativamente mais elevado do que os proprietários de veículos motorizados húngaros.

Os veículos com matrícula húngara serão reabastecidos pelo preço indicativo de 1,22 euros o litro de gasolina (índice 95 de octano) ou diesel, e os veículos estrangeiros deverão pagar o preço de mercado, que é, em média, 40% superior.

A medida faz parte de um pacote de reformas do governo húngaro com vista a aliviar os efeitos económicos da guerra na Ucrânia.

Basta olhar para o trânsito nos postos de gasolina ao longo da fronteira para compreender que o chamado "turismo de combustível" representa uma ameaça clara à segurança do abastecimento da Hungria.

A medida foi anunciada de surpresa na tarde de quinta-feira. Ao fim do dia, nos postos de gasolina perto da fronteira com a Àustria e a Eslováquia, as filas de veículos à espera do último abastecimento ao preço antigo, eram longas.

A diferença de tratamento entre os cidadãos húngaros e os de outros países da União Europeia levanta questões de legalidade dada a regra de proibição de discriminação de pesssoas vigente no espaço europeu.

O chefe da chancelaria húngara, Antal Rogan, admitiu num programa televisivo, na noite de quinta-feira, que a nova regulamentação poderá dar origem a diferenças com Bruxelas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos