Hungria lança pesquisa nacional com objetivo de 'parar Bruxelas'

O primeiro-ministro húngaro, Victor Orban, em Roma, em 25 de março de 2017

A Hungria lançou neste sábado uma campanha contra a União Europeia com um questionário em que pergunta aos cidadãos sua opinião sobre como lidar com as políticas de Bruxelas, que considera ameaçar a independência do país.

Autoridades enviaram aos lares húngaros formulários intitulados "Paremos Bruxelas!", explicou um representante do governo, Bence Tuzson, em coletiva de imprensa para apresentar a iniciativa.

"Num futuro próximo, a Hungria espera decisões e batalhas. Apenas poderemos ganhá-las se tivermos o apoio do país", explicou Tuzson.

As seis perguntas incluídas na pesquisa questionam os cidadãos sobre "o que a Hungria deveria fazer" a respeito das políticas impostas por Bruxelas sobre imigração e assuntos econômicos.

A pesquisa, denominada "Consulta Nacional 2017", chega depois que o governo de direita do primeiro-ministro, Victor Orban, aprovou a detenção indefinida de migrantes em campos de retenção na fronteira.

Outra pergunta fala sobre ONGs internacionais que, segundo o governo, apoiam a imigração ilegal e "interferem" nos assuntos internos da Hungria.

Em 2015, o país já havia lançado uma "Consulta Nacional" para perguntar aos cidadãos sobre "imigração e terrorismo". Esta pesquisa foi duramente criticada, entre outros, pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), que se mostrou "impactado" pelas perguntas e denunciou que podia abrir espaço para a xenofobia no país.